Álvaro Amaro diz que obra de regularização da Vala da Salgueirinha vai ser lançada em breve, depois de “dois anos de intenso trabalho” de preparação, em que ficou concluída a negociação com “dezenas de proprietários”. Mas mesmo assim vai ter de haver expropriação de alguns terrenos

A Câmara Municipal de Palmela espera a aprovação, até Janeiro, de boa parte de um conjunto de candidaturas a fundos comunitários, que já apresentou, e que, no total, representam um investimento de quase seis milhões de euros. A informação de que parte das candidaturas apresentada deverá ser aprovada entre este mês de Novembro e Janeiro de 2017, foi dada pelo presidente da autarquia, Álvaro Amaro, que fez um ponto da situação sobre esta matéria, na última reunião pública do executivo.

Entre o conjunto de candidaturas ao Portugal 2020, apresentadas pelo município até Outubro, pontificam a ampliação e requalificação de quatro escolas básicas, de Aires (500 mil euros), Águas de Moira (684 mil euros), Matos Fortuna, em Quinta do Anjo (689 mil) e Escola das Cabanas (484 mil); a Ligação Intermodal de Pinhal Novo (172 mil euros); a Unidade Familiar de Pinhal Novo (1,27 milhões de euros); a regularização da Vala da Salgueirinha, no Pinhal Novo (2,24 milhões); e a empreitada de recuperação das encostas do Castelo de Palmela.

A autarquia diz ter intenção de concluir e apresentar, ainda, até ao final do ano, um novo pacote de candidaturas a fundos comunitários.

 

Associação de reformados do Bairro Alentejano reformula projecto arquitectónico de novo edifício

O projecto de construção do novo Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário da ARPIBA – Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Bairro Alentejano, em Palmela, vai receber um apoio no valor de 2.850 euros, medida aprovada por unanimidade também na reunião pública da Câmara Municipal de Palmela.

A verba municipal destina-se a comparticipar “despesas relativas à alteração do projecto de arquitectura” do equipamento, com respostas sociais de Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário. A intenção da ARPIBA, instituição particular de solidariedade social, é construir o equipamento e respectivas valências de forma faseada, a partir de um piso único, passível de ampliação futura.

A alteração do projecto, referida como “estratégica”, decorre da “indisponibilidade de linhas de financiamento comunitário com prioridades de investimento para a construção de equipamentos sociais com valências direccionadas para as pessoas idosas”, explica o município em nota de imprensa.

A construção será num terreno de 1.392 m2, cedido pela câmara municipal, em 2008. A autarquia lembra que também “isentou de taxas a obra que a ARPIBA pretende realizar e anunciou que definirá a sua comparticipação na obra, através de um Protocolo de Cooperação com a Associação, a celebrar oportunamente”.

A Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Bairro Alentejano foi constituída em 2005, encontrando-se desde então sediada, provisoriamente, num espaço cedido pela Sociedade Recreativa e Cultural do Povo do Bairro Alentejano. Contando actualmente com 400 associados, procura “contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas idosas”.