As zonas rurais do concelho de Palmela voltaram a estar em destaque, entre os dias 15 e 19, com a semana de trabalho descentralizado que a Câmara Municipal de Palmela dedicou a Marateca, a penúltima do ciclo semanas das freguesias 2015. O balanço da semana de Marateca foi feito pelos presidentes da câmara, Álvaro Amaro, e da União das Freguesias de Poceirão e Marateca, José Silvério, na sexta-feira, no Centro Comunitário de Águas de Moura.

Álvaro Amaro deu conta do que está previsto para a segunda fase deste equipamento, que resultou da reabilitação do antigo quartel dos Bombeiros de Águas de Moura. O centro comunitário alberga já a Associação de Festas de S. Pedro de Marateca, o Grupo de Teatro TELA e aulas de música e de zumba.

No espaço do rés-do-chão, onde funciona a loja social, depois de esta ser deslocalizada, em setembro, o objetivo é vir a instalar a biblioteca, centro de recursos para a juventude e ludoteca, adiantou o presidente do município, acrescentando que se pretende também na segunda fase, que ainda não tem data prevista para avançar, instalar um elevador no edifício.

No decorrer da semana de Marateca, 19 crianças da Ensino Básico (E.B.) de Águas de Moura e da União Social Sol Crescente reuniram-se com os autarcas no centro comunitário, para apresentarem as suas ideias e projetos para este equipamento, no âmbito do projeto de participação cidadã “Eu Participo!”. A realização de uma semana do desporto ou a criação de uma programação com atividades nas áreas do teatro, dança, cinema, oficinas, ludoteca, exposições e canto são algumas das respostas ao desafio proposto pela câmara, que garantiu estar em condições de concretizar algumas actividades já no próximo ano letivo.

No âmbito da semana, foi também apresentada à comunidade educativa da E.B. de Águas de Moura a proposta de ampliação e remodelação do edifício, que é “o grande projeto da câmara em Marateca, a par da segunda fase do centro comunitário”, salientou Álvaro Amaro. Além da remodelação prevista para o edifício existente, que vai ser dotado de isolamento térmico e adaptações ao nível das acessibilidades, vai ser efetuada uma ampliação, que vai criar novas áreas, refeitório com as respetivas áreas de serviço, espaço polivalente para a prática desportiva e para eventos, instalações sanitárias, sala de professores e sala de atendimento individualizado.

Na área frontal do edifício, vão ser implantados brinquedos e um campo informal de jogos. A sul, vai ser criada uma área protegida de recreio coberto. O presidente referiu que o custo da obra está estimado em 150 mil euros.

No âmbito de um plano geral de remodelação do parque escolar, a E.B. de Águas de Moura vai ser incluída numa candidatura a fundos comunitários, em preparação, e assegurou já financiamento de 50 por cento, no âmbito do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Social da Área Metropolitana de Lisboa.

O município está também a investir mais de 30 mil euros em pavimentação e saneamento em Marateca. Os executivos municipal e da freguesia visitaram a Rua José dos Santos, no Bairro Margaça, onde estão a ser realizados trabalhos de levantamento topográfico para estudo da viabilidade do prolongamento do saneamento e pavimentação daquela via.

A autarquia concluiu também, recentemente, a pavimentação da Rua José Francisco Bento, em Fernando Pó, integrada numa empreitada que inclui diversas reparações em vias da freguesia, no valor global de cerca de 20 mil euros. No segundo semestre deste ano, vai ser efetuada a substituição de uma conduta de fibrocimento na Rua Calouste Gulbenkian, em Águas de Moura, no valor de sete mil euros. Já em julho, vai ser feita a reconversão da ETAR compacta da Escola Básica de Cajados, numa intervenção no valor de 4.400 euros.

Na área social, decorreu, durante a semana de Marateca, no edifício da antiga escola do 1.º ciclo do Ensino Básico de Cajados, a assinatura do contrato de comodato entre a câmara e a Cáritas Diocesana de Setúbal, para cedência deste edifício ao Centro Comunitário de S. Pedro. A cerimónia contou com a presença do presidente da Cáritas, Eugénio da Fonseca.

O centro comunitário vai promover, no local, ações de formação destinadas às famílias em situação de vulnerabilidade psico-social e económica da União de Freguesias de Poceirão e Marateca. Na ocasião, foram apresentadas as obras de adaptação do edifício, que integra, entre outras valências, salas de apoio pedagógico e psicológico, gabinete técnico de coordenação, gabinete de atendimento, cozinha e sala de refeições, sala de formação, sala de atividades lúdicas e biblioteca.

“A função do município não é fazer o que compete às instituições, é ser parceiro, dar condições”, referiu Álvaro Amaro. Nesse sentido, acredita que “esta cedência é um contributo muito significativo”. Como habitualmente, esta semana de trabalho descentralizado privilegiou também o contacto com agentes económicos locais.

Os autarcas visitaram a Ostradamus, empresa concessionária da Aquacultura do Texugo, localizada na Herdade do Zambujal. Este que é o maior viveiro de ostras do país, com 50 hectares de extensão, demonstra “um potencial do concelho que muita gente desconhecia”, realçou Álvaro Amaro. Outra empresa visitada foi a Adega Monte D´Agualva, uma empresa familiar estabelecida há mais de uma década na freguesia de Marateca, na localidade de Bairro Margaça.

A semana incluiu ainda uma visita a uma coleção de modelismo existente em Vale da Abrunheira, desenvolvida por Carlos Briz, que inclui milhares de comboios, navios e aviões. Em colaboração com o autor e proprietário, o município pretende apresentar este espólio no concelho, de forma modular e para assinalar eventos e efemérides. A Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Águas de Moura, instalada na urbanização do Sobreiro Grande, mereceu também a visita dos autarcas.

A principal preocupação passa pela falta de profissionais, já que a UCSP não dispõe de enfermeiros, sendo as suas funções garantidas pelos dois médicos afetos. “É inadmissível a ausência de cuidados de enfermagem. Águas de Moura não pode continuar a ter a ausência destes profissionais de saúde”, defendeu Álvaro Amaro. Os últimos dados apontam para que cerca de 12 por cento dos utentes inscritos não disponha de médico de família.

“O saldo desta semana é positivo. Levamos um ponto de situação e um caderno de encargos para os próximos tempos”, referiu o presidente da câmara. Também o presidente da união de freguesias fez um balanço positivo da Semana de Marateca e aproveitou para expressar duas preocupações.

Uma delas tem a ver com o facto de o Cemitério de Águas de Moura estar prestes a atingir o limite da capacidade. A ampliação está em vista, mas depende da cedência de terrenos por um particular, decorrendo o processo há um ano e meio. José Silvério mostrou-se também preocupado com o “tratamento diferente entre o centro de saúde de Poceirão e o de Marateca”, no que respeita a conservação de instalações.