O concelho da Moita está a ser afectado por uma praga de baratas, em especial as freguesias da Baixa da Banheira e Moita, com a autarquia a reconhecer o problema e a anunciar que a desinfestação foi intensificada.

“A autarquia reconhece a existência do problema, com maior incidência nas freguesias da Baixa da Banheira e da Moita. Todos os anos existe esta praga que vai sendo debelada com os trabalhos de desinfestação contratados a uma empresa, contudo o calor excessivo e continuado do presente ano provocou uma situação excepcional da praga, dificultando a exterminação através da desinfestação que é realizada anualmente”, disse ao DIÁRIO DA REGIÃO João Romba, vereador da Câmara da Moita.

O autarca explicou que este ano, para além da desinfestação que é realizada regularmente, foi alargado o período de intervenção com o intuito de combater a praga existente.

“Há um mês que a empresa contratada para a desinfestação está no terreno, e a situação anormal que estamos a vivenciar levou-nos a solicitar o prolongamento da sua actuação. No entanto, a própria empresa está a ter algumas dificuldades para nos dar a resposta pretendida porque o problema verifica-se de norte a sul do país”, afirmou.

João Romba referiu que a autarquia vai tentar evitar estas ocorrências, mas explicou que são situações difíceis de controlar.

“É difícil, para não dizer impossível, controlar ou evitar a existência de situações deste género, dado que dependem de factores exógenos. O excesso de calor continuado é o principal factor para a proliferação desta praga. Continuaremos a fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para evitar este tipo de ocorrências”, concluiu.

Fotografia de Ted & Dani