Os novos órgãos da comissão política da secção do Montijo do Partido Social-Democrata (PSD) tomaram posse, na última terça-feira, numa cerimónia que contou com a presença de Maria Luís Albuquerque, ministra das Finanças e cabeça de lista por Setúbal às próximas legislativas. A sessão, realizada à noite, encheu por completo a sala de sessões da Assembleia Municipal, registando a presença de alguns nomes que integram a lista da coligação às próximas eleições, como Maria das Mercês Borges e Bruno Vitorino, presidente da distrital de Setúbal do partido, entre outros.

Pedro Vieira é o novo presidente da secção laranja do Montijo e, ao mesmo tempo que lembrou a atual conjuntura do país, revelou o objetivo a seguir em termos locais. “Este é um tempo que nos convoca a dizer presente. Estamos empenhados em espiar os erros do passado. Hoje, estamos a sair do momento mais difícil do país”, disse, sublinhando que a comissão política que agora lidera “é ambiciosa” e que vai ter de “ser muito pró-ativa”.

Antes, interveio Bruno Vitorino para sublinhar que as próximas legislativas “vão decidir-se em três ou quatro círculos eleitorais”. No de Setúbal, afirmou, “os mandatos não estão ainda distribuídos”, apesar de este ser um distrito “conhecido por ser de esquerda”. O presidente da distrital fez um apelo à “união dos militantes” em torno dos novos órgãos da comissão política do Montijo, lembrando o trabalho realizado nas últimas autárquicas que valeram ao PSD eleger dois vereadores.

“Estou convencido que foi o semear de um projeto que vai colher frutos por esta comissão política”, alvitrou, frisando de seguida que “o PSD não pode ter outro objetivo em Montijo que não seja a vitória. Temos todas as condições para ter um excelente resultado e ganhar as próximas autárquicas, porque Montijo tem um presidente que não encanta ninguém”.

Maria Luís Albuquerque encerrou os discursos da praxe, depois de também ter seguido com atenção a intervenção do presidente da Juventude Social-Democrata (JSD) do Montijo, Vasco Fernandes. À semelhança de Bruno Vitorino, a cabeça de lista por Setúbal manifestou-se convicta num bom desempenho da nova comissão política. “Tenho a certeza que as motivações são as corretas e que terão o resultado desse trabalho”, vincou.

A ministra das finanças traçou depois um retrato à região, considerando que Setúbal já não é o que era. “Temos ainda a memória de um distrito que hoje, se calhar, já não corresponde a essa imagem. Acho que o distrito, que tem sido tradicionalmente de esquerda, também está a mudar em termos de orientação política”, analisou, mostrando-se confiante num bom resultado nas eleições de outubro próximo.

“Tenho a convicção de que vamos retomar a alegria, o espírito de vitória, que tínhamos em 2012. A dois meses das eleições, não há razão absolutamente nenhuma para não o ambicionarmos. O distrito de Setúbal tem hoje em 2015 mais um lugar de deputado e esse deputado vai ser nosso”, atirou, a concluir, sem deixar de frisar “a dinâmica extraordinária da JSD” em campanha.