“O Movimento Associativo marca a história, percurso e identidade do Concelho do Barreiro. É dinâmico, criativo, empenhado, intervindo em diversas áreas, tais como desporto, cultural, ambiente, entre outras”, referiu o presidente da CMB na Cerimónia de atribuição de Medalhas de Bons Serviços e Dedicação ao Movimento Associativo, que decorreu nos Paços do Concelho.

Carlos Humberto salientou que a identidade do Barreiro “é muito marcada pelo Movimento Associativo e por muitas pessoas que intervêm diariamente”. “Fomos no passado, somos no presente e seremos no futuro uma terra de associativismo”, referiu o Autarca.

A iniciativa contou ainda com a actuação do Grupo Unidos do Lavradio.

As Medalhas, atribuídas conforme Regulamento de Atribuição de Condecorações do Município, foram entregues pelo Presidente da CMB e pela Vereadora Regina Janeiro às seguintes entidades:

Grupo Coral Alentejano Unidos do Lavradio – 25 anos

Fundado a 1 de Janeiro de 1991. Com sede no Páteo dos Loios, União das Freguesias do Barreiro e Lavradio, tem como missão a divulgação do Cante Alentejano e das suas tradições e a preservação de memórias colectivas. Para atingir estes objectivos, tem desenvolvido parcerias com diversas entidades do Concelho. É um espaço de encontro dos muitos alentejanos que se deslocaram para o Barreiro procurando novas oportunidades e a melhoria das suas condições de vida, desde o final da primeira década do século XX.

Recebeu a medalha o representante, Jorge Marreiros.

Grupo Desportivo e Cultural dos Casquilhos – 25 anos

Fundado a 22 de junho de 1991, tem a sua sede na Rua Sousa Martins, na União de Freguesias do Alto do Seixalinho, Santo André e Verderena. A formação humana integral, através da educação cultural, física e desportiva, é o objectivo do Grupo. Actualmente, tem como modalidades o voleibol feminino, atletismo e a malha.

Recebeu a medalha o Representante, Rui Calvet.

Centro Social e Paroquial de Santo André – 50 anos

O Centro Social e Paroquial de Santo André é vulgarmente conhecido por “Casa dos Rapazes”. De facto, o lar de crianças e jovens, denominado “Casa dos Rapazes do Barreiro”, foi a primeira actividade a ser exercida, criada na década de 60. Em 1984 surgiu o Centro Social e Paroquial de Santo André, que ficou a ser o suporte jurídico desta resposta social.

Com a crise, o centro iniciou também o apoio às famílias que vivem em situação de precariedade e de exclusão social através da entrega semanal de cabazes de comida e mensalmente também de outros bens.

Em parceria com outras instituições, procura responder às necessidades sociais da área envolvente, apoiando os mais desfavorecidos da Comunidade, no âmbito da Doutrina Social da Igreja.

Recebeu a medalha o Representante, Padre Armando Azevedo.