Na primeira parte foi evidente o contraste que se tem verificado nas últimas jornadas, isto é, um Lusitano de Vila Real de St.º António em queda livre na tabela classificativa, e um Pinhalnovense em ascensão pontual e no aspecto de uma maior segurança de processos. Assim, ao intervalo não surpreendia a vantagem dos pupilos de Pedro Mendes, através de um golo do defesa central Alan, números lisonjeiros para a formação algarvia, face às oportunidades de golo até então criadas pelo grupo do Pinhal Novo.
Para os segundos 45 minutos, como lhe competia, a formação do Sotavento algarvio lançou-se na procura de uma melhor performance, mas o Pinhalnovense reagiu, voltou à carga, dispôs-se como líder do meio campo e os seus jogadores acabaram por ser responsáveis por resultado tão diminuto, com Bruno Severino, Grou e Mateus Fonseca a perderem oportunidades de golo praticamente feito.