“Lisbon South Bay” é o novo “nome” para promover internacionalmente os territórios da Lisnave, Quimiparque e Siderurgia, situados nos concelhos de Almada, Barreiro e Seixal. Este novo “naming” foi explicado ao público na sala de sessões dos paços do concelho do Barreiro.

Este novo “nome” resulta do lançamento de um plano de marketing para os territórios da Baía do Tejo, no âmbito de uma candidatura ao programa regional operacional de Lisboa, cofinanciada pelo FEDER, sob a designação “Estratégia de Promoção Nacional e Internacional do Arco Ribeirinho Sul”, no valor de cerca de 100 mil euros, realizada, conjuntamente, pela Baía do Tejo e pelos três municípios.

“Lisbon South Bay” remete para três conceitos, segundo explicou Pedro Godinho, em representação da Sales Group, entidade responsável pelo estudo: “Lisboa”, aproveitando o seu potencial turístico, “Sul” e toda a qualidade de vida associada às praias, ao lazer, e à dinâmica cultural destes três concelhos, e “Baía”, associado ao rio Tejo e a este o “imenso” espelho de água do Mar da Palha. Nesta sessão, que serviu para esclarecer a metodologia do estudo, o processo de seleção do naming, assim como os objetivos do plano, marcaram presença, o presidente da Câmara Municipal do Barreiro (CMB), Carlos Humberto, o vereador com a área planeamento, ordenamento do território, ambiente, paisagismo e mobilidade, Rui Lopo, e Sérgio Saraiva, vogal do conselho de administração da Baía do Tejo (BT).

“Nunca, no contexto atual, foi necessário aos territórios promoverem-se”, afirmou o vereador da CMB, na abertura da sessão. Esta apresentação, nesta altura, é “um primeiro passo desta estratégia de marketing”, disse, exaltando a “identidade passada” dos territórios em causa.

O que estamos a criar “é uma marca para os três territórios”, sublinhou o presidente da CMB, esclarecendo qualquer dúvida que pudesse subsistir. De acordo com Carlos Humberto, está-se a procurar uma “marca” que ajude a atrair empresas, emprego, atividade económica para o território com reconhecido potencial, com tradição e conhecimento – “numa perspetiva integrada”. Para a prossecução deste projeto, também o responsável pela autarquia do Barreiro considerou a ponte Barreiro-Seixal como fundamental.