O Instituto Politécnico de Setúbal inaugurou, na passada terça-feira, o Laboratório de Mobilidade na Escola Superior de Tecnologia. Apetrechado de equipamentos na área da mobilidade elétrica, o laboratório está especialmente vocacionado para o estudo, I&D e ensino de matérias relacionadas com os veículos e a mobilidade sustentável. Durante toda a manhã, o público presente teve a oportunidade de contactar com veículos elétricos e híbridos da Volkswagen, Audi, BMW, Toyota, Lexus e Nissan.

Dar resposta à necessidade de desenvolvimento e investigação no setor da mobilidade elétrica foi o principal intuito do IPS ao investir na criação do novo laboratório instalado na Escola Superior de Tecnologia (EST) e, a partir de agora, disponível a toda a comunidade académica e local, bem como às empresas e entidades da região.

No momento da inauguração do laboratório, Pedro Dominguinhos, Presidente do IPS, assumiu o compromisso de que “o Instituto, enquanto estabelecimento de ensino, tudo fará para contribuir para o desenvolvimento da área automóvel e elétrica e para o crescimento da economia regional e nacional, disponibilizando os nossos laboratórios às empresas e a todos os nossos parceiros”.

 

Por sua vez, o diretor da EST Setúbal, Nuno Pereira, afirmou que a mobilidade suave tem sido “uma das grandes apostas desta escola e que esta é uma fileira emergente”.

“Temos um novo curso de dois anos que será o lançamento da base para esta área e a licenciatura em engenharia eletrotécnica e de computadores também já inclui esta área da mobilidade suave”, sublinhou o docente.

Apesar do investimento neste sector, e de afirmar que o mesmo está em franco desenvolvimento, Nuno Pereira apontou aquela que considera ser a grande condicionante à procura destes cursos por parte dos alunos. “Quando começarem a surgir números que demonstrem o grau de empregabilidade neste sector, os candidatos acabarão por aparecer. A perceção da empregabilidade ainda não é muito boa, mas estou convicto de que é algo que será ultrapassado”.

O professor reafirmou que a aposta na área da mobilidade elétrica “é para continuar» e que a colaboração das empresas da região é «fundamental”.

A sessão de inauguração do novo laboratório contou ainda com a presença de Demétrio Alves, da área Metropolitana de Lisboa (AML), que falou sobre os vários tipos de financiamento disponíveis através dos Fundos Comunitários (Portugal 20-20) e realçou que o sistema de transportes e da mobilidade é vital na área metropolitana. “A forma como as pessoas se deslocam na área metropolitana tem impacto na economia e também a nível cultural e social”. Deste modo, a formação, a especialização e, a consequente empregabilidade, neste sector é vital para a sociedade regional metropolitana”.

 

O engenheiro da AML enalteceu o trabalho desenvolvido pelo IPS, “instituição que tem uma visão de mérito que deve ser apoiada por várias entidades e de várias formas possíveis”, e afirmou a “total disponibilidade da AML para tentar chegar às várias entidades, no sentido de encontrar financiamentos para que o IPS continue a desenvolver os seus projetos e os seus cursos”.

 


1ª Pós-graduação na área apresenta resultados positivos

Durante a manhã foi ainda assinalado o final da 1ª edição da pós-graduação em Motorização de Veículos Elétricos e Híbridos com a apresentação de trabalhos realizados pelos estudantes.

José Maia, professor e coordenador da pós-graduação, fez um balanço «positivo» do curso que surgiu após o desafio lançado pela Autoeuropa. “Conseguimos estudantes com grande experiência na área e com grande entusiamo pelos veículos elétricos, o que permitiu o dinamismo durante as aulas e os estabelecimentos de novos contactos e de novas parcerias”.

O professor revelou ainda os novos objetivos para o futuro. “Através da parceria com o CEEA criamos esta pós-graduação e queremos avançar para o mestrado. Na próxima edição vamos incluir um novo tópico orientado para as redes elétricas inteligentes”.

Na primeira edição da pós-graduação em Motorização de Veículos Elétricos e Híbridos foram promovidos 17 seminários, 5 ações de demonstração de veículos (test-drives) e efetuadas 6 visitas a empresas.