Daniela Martins lança-se num ‘Instante’

“Instante” é o título do primeiro livro de Daniela Martins, publicado com a chancela da “Chiado Editora”, que dá resposta a um desejo desta jovem barreirense que manifestou desde muito nova o seu gosto pela literatura.

Sobre o tema ficcionado, destaque-se o comentário de António Chaínho, um particular amigo, com responsabilidade no universo das Letras, e que, como é do conhecimento público  com a sensibilidade que o caracteriza  dotou o panorama nacional com a verdade que o “Instante” oferece. “Trata-se de um texto extremamente ficcionado, de uma densidade descritiva marcante, onde as personagens viajam abruptamente no Tempo, por vezes, aparentemente sem nexo. Contudo, a capacidade criativa da autora leva ao leitor um profundo desassossego, devido à interacção por ela criada”, refere António Chaínho, acrescentando: “De facto, ligar Henrique VIII (séc.XVI) a Maria Antonieta (séc. XVIII) a Antero ou a Pessoa, exige da parte de quem lê uma particular elasticidade intelectual, não acessível a todos. É como que de um jogo se tratasse. O texto é, por si só, uma metáfora que reflecte profundo conhecimeto mitológico, filosófico, histórico e literário da autora.” 

Livro, guardiã da Palavra

“(…) Deixe de pensar tormentas. O mundo é o momento; o nosso momento”. Antes do sonho, a reflexão: “não olhando para trás, para o nevoeiro”, porque “as brumas encurtavam o horizonte, deixe de pensar tormentas”. “Se o Tempo existisse voltaria sempre ao mesmo ponto de partida, como o círculo perfeito que os gregos adoravam”.

A autora convida o leitor a uma reflexão primeira sobre “(…) O Tempo… essa fórmula mágica que os homens inventaram para contar a vinda de cada luar”. No plano físico, o “Livro, guardiã da Palavra”, solta amarras da “nau” principal em que “navega” no idealizado Tempo (sem tempo), construindo uma história que se cumpre na libertação consciente de personagens que continuam a viver para além do limite da vida, através do sonho, essa dimensão de luz em que mergulhamos quando fechamos “os olhos e a luz que via já não era a mesma. Será, sim, multiplicidade”.

No reino sem reino do imaginário humano, o Tempo é a âncora que poderá deter a perfeição do “Instante” de cada um dos personagens, quando um sentimento profundo os une no mesmo propósito.

É no espaço invisível do “Instante” que se cumpre  num tempo ficcionado  a promessa da descoberta capaz de iluminar a existência do Ser.

Esta é a mensagem do livro “Instante” de Daniela Martins, prefaciado por Pedro Manuel Arrifano – licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Mestre em Filosofia pela Faculdade de Filosofia de Ciências Sociais e Humanas.