Jogo difícil e de grande expectativa para o Barreirense, já que defrontava, ao domicílio, um dos líderes da série H. Todavia, durante os primeiros 45 minutos a equipa do Barreiro foi a mais consistente sobre o relvado, com boas descidas ao último reduto contrário e a obrigar o guarda-redes do Moura a uma série de excelentes intervenções.
Foram 45 minutos de alguma surpresa para a equipa baixo alentejana talvez a não esperar ter pela frente um adversário tão determinado e a lutar cara a cara pelo resultado.
Para a segunda parte, como seria de esperar, a equipa do Moura cerrou fileiras e tentou chamar a si as operações no meio campo para partir mais eficazmente na procura da vitória. Contudo, baixando propositadamente as linhas da sua formação, Pedro Duarte, obstou a que a nova estratégia do antagonista surtisse resultados. Atacava mais, é verdade; criava mais frisson no último terço, mas não conseguia  ultrapassar as metas traçadas pelos barreirenses.
E assim, a grande oportunidade do Moura surgiu mesmo com o jogo a acabar, com um remate que levou a bola à barra, mas antes também Rui Capitão Mor apareceu entre os centrais contrários a desferir um remate de cabeça que poderia ter dado, golo, mas a bola saiu fraca e defensável para o guarda-redes.
Em síntese, obstáculo complicado bem ultrapassado pelo Barreirense, que conquistou um precioso ponto num campo onde poucos o conseguem.