Salim Cissé, avançado cedido pelo Sporting, quer ajudar Vitória a alcançar triunfo no duelo de amanhã em Guimarães

Depois de se estrear sábado com a camisola do Vitória, o avançado Salim Cissé não vê a hora de marcar pela primeira vez ao serviço do seu novo clube. O jogador, cedido pelo Sporting até ao final da época, espera fazê-lo em breve, se possível já na partida de amanhã (20h45), da 22.ª jornada do campeonato, no reduto do V. Guimarães para começar a retribuir a confiança que os responsáveis sadinos depositaram em si. “Encontrei aqui pessoas que acreditam na minha qualidade. O Vitória quer-me ajudar e eu vou fazer tudo para ajudar a equipa”, garantiu, confessando já se sentir em casa.

Que balanço faz da sua experiência no Vitória?

Estou muito contente. Encontrei jogadores de qualidade e um bom espírito de grupo. Era isso que desejava encontrar no meu regresso à I Liga.

Como se sentiu na estreia que fez no sábado diante do Marítimo?

Tenho-me sentido bem nos treinos. No jogo, sinto que ainda posso melhorar muito e ajudar mais a equipa. Fizemos uma boa exibição com o Marítimo, mas a sorte não esteve do nosso lado. Teríamos ganho se não fosse o penálti contra nós. Já não estamos a pensar no passado mas no próximo jogo.

Sentiu algum nervosismo por jogar logo na semana em que começou a treinar com a equipa?

Logo no primeiro dia de treino, o grupo recebeu-me bem. Já conhecia o André Claro e o Ricardo porque fomos colegas no Arouca e Académica, respectivamente. Integrei-me bem e já me sinto como se estivesse em minha casa.

Qual a sua opinião sobre o clube?

Encontrei aqui pessoas que acreditam na minha qualidade e que posso voltar a ser o jogador que fui no meu primeiro ano em Portugal. O Vitória quer-me ajudar e eu vou fazer tudo para ajudar a equipa.

Deixou bons indicadores na estreia. O que espera mostrar ainda aos adeptos esta época?

Sou ponta-de-lança e espero fazer golos. Senti algumas dificuldades no primeiro jogo, mas com os treinos e a ajuda do grupo vou resolver isso.

É com o objectivo de marcar que vai entrar no jogo em Guimarães?

O meu objectivo, não só contra o Guimarães, é ajudar a equipa a ganhar. Não apenas fazendo golos, mas contribuindo para vencer.

O que espera do adversário?

O V. Guimarães tem uma boa equipa e será um jogo difícil, mas nós também temos jogadores de qualidade. Se nos aplicarmos e jogarmos como fizemos com o Marítimo, vamos conquistar os três pontos. Se ganharmos ficaremos mais próximos do Guimarães.

Fazer golos para não morrer

Tem alguma meta de golos?

Quero estrear-me a marcar. Quando o fizer espero ajudar a equipa a conquistar os três pontos. Os avançados vivem de golos, eu não sou excepção. Sem golos, estamos mortos. É mau não arriscar fazer golos. É indiferente que seja com o joelho ou com a orelha (risos).

Jogar ao lado de jogadores mais experientes como Meyong e André Claro é importante para a sua evolução?

Posso aprender com todos eles. O Meyong e o Claro são jogadores de grande qualidade, mas há mais na equipa, como o Costinha, o Ruca, o Makuszewski, entre outros. Por isso, sinto-me bem aqui.

Falou com João Mário ou Rúben Semedo antes de vir para o Vitória?

Não falei com ninguém. No último dia do fecho do mercado, chamaram-me e disseram-me que vinha para o Vitória. Fiquei muito emocionado e não houve tempo para falar com o João Mário nem o Semedo. No jogo de sábado com o Marítimo estive com o Semedo no balneário cumprimentamo-nos e ele disse-me “força Cissé”.

João Mário e Rúben Semedo estiveram cedidos pelo Sporting ao Vitória e, poucos meses depois, regressaram a Alvalade para actuar pela equipa principal. São casos que lhe servem de inspiração?

Sim, são dois exemplos a seguir. Um jogador do Sporting que chega ao Vitória tem a responsabilidade de fazer bom trabalho como fizeram Semedo e João Mário. Quero, se for possível, fazer melhor do que eles. Tenho essa responsabilidade. Neste momento estou apenas concentrado no presente e não no futuro nem passado. Apenas penso no Vitória e quero fazer um bom trabalho para retribuir ao clube a confiança que depositou em mim.

Quais os jogadores que mais admira no futebol?

Thierry Henry é a minha principal referência. Também gosto muito de Jackson Martínez e Didier Drogba.