Mais de 250 militares, com a colaboração da PSP, realizaram 23 buscas domiciliárias a Palmela, Sesimbra, Setúbal, Seixal e Grândola. Foram apreendidas cinco toneladas de cortiça

Um total de 13 pessoas detidas, foi o balanço de uma operação desencadeada ontem de manhã pela GNR, com a realização de 23 buscas domiciliárias no distrito de Setúbal, na sequência de uma investigação a furto e receptação de cortiça. Mais de 250 elementos da GNR participaram nas buscas domiciliárias efectuadas em cinco concelhos da região – Palmela, Sesimbra, Setúbal, Seixal e Grândola –, logo a partir das 7h00 e que culminaram com a detenção de 13 homens por furto de cortiça, receptação, fraude fiscal e posse de armas proibidas.

Além das detenções, foram apreendidas “cinco toneladas de cortiça; 30 toneladas de pinhas; 19 armas de fogo; Mais de 1 000 munições; 40 000 euros em numerário; três viaturas; 21 telemóveis; quatro computadores; vários utensílios de extracção de cortiça; e rádios de comunicações”, indicou a GNR em comunicado.

A acção foi realizada no âmbito de uma investigação que decorria há mais de um ano no DIAP de Setúbal, tendo sido cumpridos 12 mandados de detenção e realizadas 23 buscas domiciliárias nos cinco concelhos da região.

“Foi uma investigação que começou no ano passado, no âmbito do furto de cortiça que afectava a parte sul do distrito de Setúbal, principalmente o concelho de Grândola. Durante a investigação verificámos que não só estava em causa o crime de furto de cortiça como também o crime de receptação e fraude fiscal”, explicou o tenente-coronel João Nortadas à Lusa. Por envolver fraude fiscal, acrescentou o o militar, a operação passou a ser conjunta, entre o Comando Territorial de Setúbal e a Unidade de Acção Fiscal da GNR.

“Às 7h00 de hoje [ontem], mais de 250 militares deram início a 21 buscas domiciliárias e ao cumprimento de 12 mandados de detenção em cinco concelhos de Setúbal (Palmela, Sesimbra, Setúbal, Seixal e Grândola)”, confirmou, adiantando que, além dos mais de 250 militares e 50 viaturas da GNR tiveram também o apoio da PSP. “Contámos também com a colaboração da PSP de Setúbal, porque duas das buscas foram realizadas numa área da responsabilidade da PSP”, concluiu.