“Nem a chuva afastou os milhares de visitantes que, ao longo do fim-de-semana, não  perderam a oportunidade de provar alguns dos pratos característicos da região, assentes nos sabores da lagoa, do mar e da terra, complementados por uma animação cultural centrada, na sua maioria, em artistas da região”. É desta forma que a Câmara Municipal de Santiago do Cacém traça um balanço, que considera ter sido “muito positivo a todos os níveis”, sobre a realização do Festival de Gastronomia da Lagoa de Santo André, que teve lugar entre 30 de Outubro e o passado dia 1.
O programa do certame – organizado pela Junta de Freguesia de Santo André, com o apoio do município presidido por Álvaro Beijinha – contou, entre outras actuações, com um encontro de acordeonistas (mais de duas dezenas de artistas subiram ao palco), cante alentejano e uma noite de fados.
Cantinho dos Sabores, Cascalheira, Charrua, Chez Daniel e Mercado à Mesa foram os cinco restaurantes que aderiram à iniciativa e que despertaram paladares ao longo dos três dias do festival. Terra e Mar (bifinhos do lombo com camarão), chanfana de pato com batata-doce, espetada de polvo com gambas, massinha de tainha da Lagoa, ou uma selecção de carnes de porco preto, foram, entre outras, as iguarias servidas durante o evento. Um serviço de bebidas espirituosas (Fragateira Bar), pão caseiro e pastelaria tradicional (Maria Mercearia), exposição e venda de doces, licores e frutas, bem como petiscos ao longo de complementaram as ementas ao longo de todo o fim-de-semana, assegurando assim uma diversidade muito elogiada na oferta gastronómica.
A iniciativa surgiu “na sequência de uma candidatura efectuada pela Junta de Freguesia a fundos comunitários, tendo em vista a valorização do sítio piscatório da Lagoa de Santo André e a projecção da freguesia, do município e da região em termos económicos e turísticos”, lembrou Jaime Cáceres, presidente da Junta de Freguesia de Santo André, considerando que esses objectivos foram “amplamente alcançados”.
Álvaro Beijinha, por seu lado, destacou o “desafio ambicioso” a que a Junta de Freguesia se propôs, que acabou por redundar num “grande sucesso”, sublinhando ainda o “património gastronómico fortíssimo” que o município possui.