Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, afirmou na cerimónia de inauguração da Feira de Santiago 2016, na sexta-feira ao final da tarde, que a feira “será sempre a festa maior de Setúbal e dos setubalenses onde quer que ela aconteça”, uma vez que representa “Setúbal na sua plenitude”. A edil setubalense apontou a feira como um testemunho das mudanças urbanísticas que têm acontecido nos últimos tempos, afirmando que a Feira de Santiago “é feita de passado, mas também de presente e de futuro”.

“Esta é a feira que sempre conhecemos com muita alegria, muita música e muita gente. Aqui está Setúbal na sua plenitude”, começou por dizer, valorizando a tradição de os setubalenses irem à feira. “Fazemo-lo numa cidade que não recusa os imperativos da transformação urbana e modernidade que se colocam dia após dia”, continuou, destacando que a Feira de Santiago, realizada já há 12 anos no Parque das Manteigadas, “é o reflexo do labor constante pela cidade e pelos setubalenses e azeitonenses”.

Em tom de resposta àqueles que têm defendido o regresso do certame para a Avenida Luísa Todi, na baixa da cidade, Maria das Dores Meira relembrou que a feira já mudou de localização “várias vezes ao longo dos seus mais de quatro séculos de existência” e “nada impede que volte a mudar, para melhor, claro”. E citou o setubalense Arronches Junqueiro – que em 1930 descreveu a feira da época, já noutro local e muito diferente da feira que se conhecia há cinquenta anos – para explicar como o certame popular foi evoluindo ao longo dos séculos por vida da modernização das tecnologias, da iluminação com petróleo ao acetileno e até à electricidade.

Uma Feira de Santiago conservadora das tradições e de olhos postos nos tempos que se avizinham, assim a apresentou a autarca: “A nossa feira é feita de passado, mas também de presente e de futuro. E se há uma certeza que podemos ter é que Setúbal tem futuro”, rematou Maria das Dores Meira perante um auditório composto por vereadores, deputados municipais, presidentes de juntas de freguesias, autarcas e representantes de empresas e instituições da região.

Maratona desportiva em 10 dias

 

A cerimónia de abertura da Feira de Santiago 2016 ficou marcada pela apresentação teatral da peça “A Maratona”, uma produção do TAS – Teatro Animação de Setúbal, que se estreou precisamente com essa peça há 42 anos. O texto do excerto apresentado, com a duração de 20 minutos, teve alguns picos de acção e humor e um momento musical.

A fechar a ocasião, o coro Afina Setúbal, composto por funcionários do município e dirigido pelo maestro Nuno Batalha, actuou ainda com a interpretação de três peças. No final, Maria das Dores Meira convidou todos os presentes a acompanhá-la numa visita pelo recinto da feira, explorando cada um dos stands institucionais.

A Feira de Santiago, cujo tema é Setúbal Cidade Europeia do Desporto 2016, reúne no Parque das Manteigadas feirantes, tendas de artesanato, pavilhões institucionais e dezenas de diversões. Em destaque, o pavilhão do município, que em 250 metros quadrados passa em revista todos os eventos desportivos já realizados pela autarquia este ano.

Outro ponto de interesse é uma exposição de fotografia dedicada ao conhecido fotógrafo setubalense Américo Ribeiro, realizada no âmbito do seu 110.º aniversário. Também existem stands dedicados ao Ambiente e Turismo, um dos quais tendo já percorrido várias feiras europeias, mostrando a oferta turística do concelho e da região.

A programação desportiva da feira, que conta este ano com um Espaço Desporto, prevê diversas demonstrações e actividades, como galas de boxe de kickboxing, um circuito 4×4, jogos tradicionais e matraquilhos humanos e ainda um percurso de prevenção rodoviária e um campo de boccia.

André Rosa