A construção do parque de estacionamento sul da estação ferroviária de Pinhal Novo já tem o projecto de candidatura a fundos comunitários aceite e poderá ser adjudicada ainda este ano, informou o presidente da Câmara Municipal de Palmela, Álvaro Amaro.

“É um projecto que já apresentámos a quem nos acompanhou na Semana da Freguesia de Pinhal Novo, teve, logo no local, algumas correções, passou de estudo prévio a projecto de arquitectura e vamos adjudicar as especialidades”, referiu o presidente, na última reunião da Assembleia Municipal de Palmela, questionado sobre o assunto pela deputada da coligação PSD/CDS-PP “Palmela Mais”, Teresa Marta Joaquim. Álvaro Amaro explicou que esta é uma obra que o município tem “em plano para este ano mas, naturalmente, com estas questões de alteração, desde logo do estudo prévio, vai derrapar dois ou três meses”. “Poderá ainda ser adjudicada este ano, porque temos orçamento para isso, e ser concretizada no próximo ano. Mas, para nós, o fundamental é que ela venha a ser também financiada, fruto da estratégia e do excelente trabalho que os nossos técnicos na área dos fundos comunitários e dos programas têm feito”, reconheceu.

Recorde-se que, aquando da construção da estação, a REFER anunciou a criação de 300 novos lugares de estacionamento, que não veio a concretizar-se. Prometendo continuar a pressionar a empresa, o presidente adiantou, em Julho, por ocasião da Semana da Freguesia de Pinhal Novo, que o município “não fará depender a execução da obra do financiamento da REFER”. A intervenção vai contemplar a criação de cerca de sete dezenas de lugares de estacionamento, zonas de circulação pedonal desde o Pavilhão Desportivo Municipal e de acesso à estação, circulação viária ordenada, qualificação da entrada para a ARPI e encaminhamento correcto de águas pluviais. Estão previstos também vários lugares de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida, cicloparques e praça de táxis.

Município investiu 41.500 euros em sinalização horizontal este ano

O município de Palmela já investiu, este ano, 41.500 euros em sinalização horizontal, nas zonas rurais e nos centros urbanos do concelho, “muito mais do que nos anos anteriores”, informou também Álvaro Amaro na mesma reunião.

A questão foi suscitada pelos deputados socialistas Bruno Grazina e José Silvério, que alertou para a “falta de pintura de passadeiras”, defendendo que “deveria ser uma prioridade do presidente e da câmara”.

Álvaro Amaro deu como exemplos as intervenções já realizadas na zona sul de Pinhal Novo, no caminho municipal que liga Lagameças à EN5 com a zona da Agualva ou em Poceirão, alertando que é necessário “dosear esta verba para todo o concelho”. “Precisamente reconhecendo que continuam a existir muitas prioridades, e temos intenção de sinalizar sempre aquelas que estão na proximidade de equipamentos colectivos, nomeadamente, escolas, fizemos agora um esforço suplementar, desviando verbas de outras rubricas para uma nova adjudicação. Voltaremos ao terreno para fazer mais ainda este ano”, assegurou.