O aumento do número de pombos em vários locais do concelho da Moita e os problemas que causam estão a preocupar a autarquia e os moradores, com os eleitos a anunciarem que já estão a procurar uma solução para o problema.

Na última reunião pública do executivo municipal da Câmara da Moita, o assunto dos pombos voltou a ser levantado por moradores, que alertaram o executivo para o aumento do número de animais e para os problemas que estes trazem.

O presidente Rui Garcia (PCP) referiu que a autarquia tem estado, já há algum tempo, a procurar uma solução para o problema, que considera de difícil resolução.

“A Câmara está a estudar uma solução para acabar com o problema dos pombos ao nível do que foi feito em Lisboa, na zona da Expo. No caso são contentores com armadilhas, porque é o único meio legal que podemos recorrer”, afirmou.

Manuel Borges, vereador eleito pelo PS, também referiu que algo tem que ser feito para resolver o problema.

“Algo tem que ser feito. Os pombos reproduzem-se e são cada vez mais”, disse.

Também Joaquim Raminhos, eleito pelo BE, defendeu a necessidade de travar o aumento do número de pombos, frisando que devem ser envolvidas diversas entidades, e lembrou que já viu telhados de prédios “com milhares de pombos”.

“Trata-se de um caso de difícil resolução e tem que haver uma conjugação de esforços, chamando mesmo as associações de defesa dos animais para nos ajudarem. Isto para mim já é um caso de saúde pública”, afirmou.

O vereador Miguel Canudo, que tem os pelouros das Obras Municipais, Serviços Urbanos e Ambiente e Protecção Civil, explicou que a autarquia está a trabalhar com uma empresa certificada e que está a ser estudada uma proposta.

“Já fizemos reuniões com os responsáveis das vacarias da Moita, porque os pombos andam e dormem na Moita, mas vão comer às vacarias. Já lemos e estudámos muita coisa e a maioria delas, que foram implementadas em outros concelhos, não resultaram”, disse, referindo que é difícil encontrar uma solução que garanta a resolução do problema.

Pombos originaram polémica no facebook

O autarca lembrou ainda que, recentemente, a autarquia publicou na rede social facebook uma mensagem sobre os pombos que originou muita polémica.

“Já tivemos problemas no facebook por causa de uma mensagem sobre os pombos. Temos todos que assumir a responsabilidade pela decisão que for tomada, temos que que saber se é um ou todos no executivo”, disse.

Manuel Borges referiu que também não gostou de ver as mensagens que surgiram na rede social e lembrou que na altura manifestou a sua solidariedade com o município.

Fotografia de 501622731plus1