A livraria setubalense Culsete vai manter-se em funcionamento no nº 23 da Avenida 22 de Dezembro, em Setúbal, “até ao período do Natal, altura em que irá encerrar para obras de remodelação”. “No início de Fevereiro, a Culsete reabrirá de cara lavada, com novas iniciativas e valências, mantendo-se como espaço incontornável na divulgação da leitura e da cultura em Setúbal”, avançaram os responsáveis pela histórica livraria.

Esta boa notícia surge depois de Fátima Ribeiro de Medeiros ter anunciado, ainda no mês de Setembro, que a livraria independente ia fechar portas no mês de Outubro. À data, a gerente da Culsete justificou a decisão com razões de “salvaguarda” da sua saúde.

As “inúmeras diligências” que levou a cabo no sentido de encontrar alguém que quisesse prosseguir com o projecto surtiram agora efeito, uma vez que “um grupo de jovens empreendedores de Setúbal resolveu abraçar” o projecto, “numa lógica renovada, mas mantendo o mote que sempre orientou esta livraria”, assegura, em comunicado.

A máxima “Culsete para Setúbal, Setúbal para a Culsete” vai, assim, manter-se. A livraria independente foi fundada na cidade em 1973, por Manuel Medeiros e Fátima Ribeiro de Medeiros. Ao longo dos anos o casal desenvolveu aquela que é considerada “uma das mais antigas e relevantes livrarias independentes” de Setúbal e do país.