Monumento será recuperado e cedido ao município por um período de 25 anos

A Capela de São João Baptista vai ser reabilitada, na sequência de um protocolo de cooperação e de um contrato de comodato a celebrar entre a Câmara Municipal, a Diocese de Setúbal e a Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Santa Maria e S. Pedro de Palmela.

O executivo presidido por Álvaro Amaro aprovou, por unanimidade, a celebração do protocolo, que se destina a garantir a reabilitação e requalificação da Capela, nomeadamente, através de candidaturas a programas de financiamento comunitário, estadual ou outros, em particular do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) e da sua inclusão no Plano de Acção de Regeneração Urbana (PARU) do centro histórico de Palmela. Além da gestão da Capela, o documento prevê, ainda, “a identificação, estudo, conservação, valorização e divulgação do património histórico-cultural e religioso local e regional”. Através do contrato de comodato, a Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Santa Maria e S. Pedro de Palmela cede o monumento ao município, por um período de 25 anos.

Localizada no Largo de S. João, no centro histórico da vila, a Capela de São João Baptista foi templo do Balio de Leça, Ordem dos Hospitalários de S. João de Jerusalém ou Ordem de Malta e está classificada como Valor Concelhio, sendo propriedade da Diocese de Setúbal. “Dessacralizada em 1910, o imóvel tem vindo a degradar-se progressivamente, tendo deixado de ser usado para a realização de eventos culturais, devido ao estado de conservação”, explica a autarquia, que vai agora partir ara a recuperação do património.