A sessão de esclarecimento da candidatura de Nuno Carvalho a provedor da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal encheu completamente a sala no primeiro andar da Casa da Baia, com mais de uma centena de pessoas. O encontro contou com a presença dos líderes concelhios do CDS-PP, João Viegas e do Partido Socialista (PS), Paulo Lopes.

Candidatura de Nuno Carvalho à misericórdia.jpg_2

O candidato a provedor, Nuno Carvalho, também ele presidente do Partido Social-Democrata (PSD) de Setúbal, disse ter alcançado a primeira meta a que se propôs, a participação de irmãos da misericórdia. “O primeiro objetivo, da envolvência necessária das pessoas, foi cumprido. Há muito tempo que não se viam mais 150 pessoas a discutirem abertamente a misericórdia, como aconteceu e isso é um sinal de sucesso do projeto. Queremos abertura total para com os irmãos, que participem num projeto novo, de renovação da misericórdia”, disse Nuno Carvalho.

De acordo com o candidato, a instituição “precisa principalmente de uma maior capacidade de resistência” económica e financeira. “É necessário que a misericórdia possa garantir os atuais postos de trabalho, uma vez que é um dos maiores empregadores do concelho”,  afirmou Nuno Carvalho, acrescentando que a candidatura que lidera preocupa-se com “três pilares essenciais, colaboradores, irmão e utentes”.

Nuno Carvalho defendeu, na sessão de esclarecimento, a necessidade de a instituição reforçar a sua missão de prestar “um bom serviço aos utentes e um melhor apoio social à cidade, que precisa de uma misericórdia forte”. As eleições para os órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal vão ser no final do ano e o atual provedor, Cardoso Ferreira, também já anunciou a recandidatura.