Vitória regressa ao escalão principal após empate em Chaves

Apesar das oscilações vividas ao longo dos últimos meses, o final de época futebolística foi de festa no Vitória. Uma semana depois de a equipa principal ter assegurado a continuidade no escalão principal em 2016/17, os juniores conquistaram no fim-de-semana, em Trás-os-Montes, o título de campeão nacional da 2.ª divisão, graças ao empate (0-0) no reduto do Chaves, emblema que os sadinos tinham vencido (2-1) na semana anterior em Palmela.

A conquista do ceptro de campeão acontece depois de os comandado de António Aparício terem já garantido o regresso à 1.ª divisão nacional. Com uma desempenho irrepreensível ao longo da prova, os setubalenses superiorizaram-se nas diferentes fases do campeonato à concorrência, acabando o regresso, depois de uma temporada de interregno, por ser um desfecho natural.

Independentemente do título obtido diante dos flavienses, já há algum tempo que os jovens que compõem o plantel  de juniores tinham captado a atenção dos responsáveis vitorianos. A prová-lo está a frequência com que vários elementos foram no último ano chamados a trabalhar com o plantel então comandado por Quim Machado. Entre as principais figuras da equipa e os mais assíduos no treino dos seniores estiveram Gonçalo Duarte, André Pedrosa, André Sousa , João Oliveira e Valdu Té.

Em 2016/17, é certo que o próximo treinador – Paulo Sérgio, atleta do Vitória entre 1995 e 1997, continua a estar na linha da frente para assumir o cargo – vai dar continuidade à política de aposta na formação seguida pela direcção liderada por Fernando Oliveira desde que assumiu a presidência. Na época transacta foram cinco os jogadores formados na ‘cantera’ sadina que integraram os seniores: Miguel Lázaro, Miguel Lourenço, Frederico Venâncio, André Horta e Hassan.