Os Transportes Colectivos do Barreiro vão começar a operar no Concelho da Moita, brevemente até ao final do ano ou no início do próximo. Na reunião da Câmara Municipal do Barreiro, realizada nas instalações da União Recreativa de Cultura e Desporto de Coina, o Executivo aprovou um Protocolo de Entendimento, a firmar entre os municípios do Barreiro e da Moita, que prevê o alargamento do serviço dos Transportes Coletivos do Barreiro (TCB) ao concelho vizinho.

Este alargamento, conforme refere o acordo, será na extensão de duas linhas, particularmente, à União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, e Freguesia de Alhos Vedros. As carreiras nº 1 e 2 passarão, assim, a ligar a Moita à zona urbana do Barreiro.

De acordo com o Vereador da Câmara Municipal do Barreiro (CMB) responsável pelos transportes, Rui Lopo, há, nesta decisão, três ideias subjacentes a realçar.

Por um lado, disse, “num momento em que, de uma forma geral, no País, se tem traçado um percurso de redução de serviços públicos, há um serviço importante para às populações [os TCB] que apresenta uma estratégia de alargamento – em contraciclo com a generalidade das decisões”.

Por outro lado, sublinhou, a “opção política da Câmara Municipal da Moita de promover a mobilidade através do transporte público, dispondo-se a comparticipar os títulos de transporte com bonificação (‘Passe Jovem’, ‘Passe 3ª Idade’, ‘Passe +80’) dos utentes residentes na Moita”. Rui Lopo, salientou, ainda, “a importância desta medida para a mobilidade e, consequentemente, para a qualidade de vida das populações”, considerando ser este um reforço “da imagem dos TCB como referência, além do Barreiro, também, já, nos concelhos vizinhos”. Trata-se de um anseio “com décadas” e, portanto, concluiu, “um marco histórico para as populações dos dois concelhos”.

O serviço complementar será prestado numa base tarifária de referência, mantendo os TCB o valor comercial dos títulos próprios, a sua validade temporal e espacial.

O financiamento desta extensão de linhas resultará de receitas próprias dos TCB – cuja rede permite acesso a inúmeros serviços, escolas e comércio, interligando-se com o sistema intermodal de transportes da Área Metropolitana de Lisboa – e da receita gerada pela procura face ao alargamento das duas linhas.

De acordo com o Protocolo, “a criação de um serviço de transportes colectivos complementar e integrado permite estabelecer dinâmicas de mobilidade articuladas, com ganhos no desenvolvimento destes territórios, ao nível económico, social e ambiental, assegurando também um desenvolvimento sustentável das redes de transporte, com carácter complementar à actual rede existente e não em regime de concorrência”.

A cerimónia de assinatura do protocolo será brevemente anunciada.

Na reunião de Câmara do Barreiro marcaram presença o presidente da Câmara da Moita, Rui Garcia, acompanhado por vários vereadores do executivo municipal, bem como o presidente da União de Freguesia da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Nuno Cavaco.