A Câmara Municipal do Barreiro aprovou, por maioria, um orçamento de 52,6 milhões de euros para 2017, que tem como objectivo permitir candidaturas a fundos comunitários, requalificar zonas ribeirinhas e avançar com repavimentações.

“Com contributos para a dinamização do emprego e desenvolvimento económico, o orçamento inclui as candidaturas a fundos comunitários com vista à requalificação de espaços urbanos e outros e a promoção da actividade turística”, refere a autarquia em comunicado.

O orçamento para 2017 – superior ao de 2016, que foi de 44,9 milhões de euros – foi aprovado com o voto favorável da maioria da CDU, a abstenção do vereador do PSD, e os votos contra dos vereadores do PS.

“A requalificação das zonas ribeirinhas, o investimento de cerca de 500 mil euros em repavimentações, o investimento na remodelação das redes de águas e saneamento são outros dos projectos previstos para o orçamento de 2017, com o documento a prever ainda a ponte pedonal e ciclável entre o Barreiro e o Seixal”, acrescenta a autarquia.

No que respeita a uma gestão do território suportado no desenvolvimento sustentável, a autarquia continuará a trabalhar no Plano Director Municipal, nas questões do ruído, da qualidade do ar e alterações climáticas, e a desenvolver e trabalhar nos principais eixos de financiamento comunitário para a reabilitação urbana.

“Acção Social e Intervenção Sociocultural são outros dos grandes pilares do Plano de Actividades e Orçamento, onde destacamos as obras a realizar no Café Barreiro para a instalação da esquadra da PSP”, salienta.

Recorde-se ainda que, em 2017, haverá uma redução da taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis de 0,40% para 0,39%, aprovada no dia 21 de Setembro, em Reunião de Câmara, e no dia 29 de Setembro, em Assembleia Municipal, o que provocará uma redução da receita deste imposto para o orçamento da autarquia.

Orçamento dos TCB também aprovado

O orçamento para 2017 dos Transportes Colectivos do Barreiro, que é de 10,5 milhões de euros, também foi aprovado por maioria, com dois votos contra do PS e seis a favor da CDU e PSD.

“Está previsto um massivo processo de renovação da totalidade da frota recorrendo a financiamento comunitário, uma aposta muito forte na formação e valorização dos trabalhadores através da implementação de um sistema de certificação da qualidade e de vários processos de formação intensiva”, refere.

“A informação ao utente tem uma aposta significativa com verbas previstas para a colocação de informação digital nas paragens de autocarro. Mantém-se a tendência de inovação, particularmente estando previsto a implementação de um projecto de partilha de viaturas ligeiras dos TCB, através da existência de utilizadores com passe”, acrescenta.