O vereador do PSD na Câmara Municipal do Barreiro, Bruno Vitorino, acusa o executivo da CDU de chumbar a sua proposta para reduzir o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) de 0,4% para 0,35% para os prédios urbanos do concelho, considerando que as famílias barreirenses vão “continuar a ser penalizadas com uma taxa demasiado alta”.
 Bruno Vitorino apresentou também uma medida que previa ser um “incentivo à natalidade e serviria para tornar o concelho mais atractivo”, permitindo ao mesmo tempo aliviar a carga fiscal das famílias, com uma redução adicional e automática da taxa do IMI aplicável a todas as famílias barreirenses com filhos e/ou outros dependentes a seu cargo.
A proposta previa reduzir 10% a taxa para quem tem um filho/dependente; 15% para quem tem 2 filhos/dependentes; e 20% para quem tem 3 ou mais filhos/dependentes, proposta que também viria a ser chumbada com os votos contra da CDU e a abstenção do PS.
O vereador social-democrata lamenta o chumbo das propostas que apresentou, afirmando que “em 217 dos 308 Municípios do País, a taxa de IMI é mais baixa que no Barreiro, e cerca de metade dos Municípios portugueses aprovaram já o IMI familiar”.
“Isto prova que a fixação de valores tão altos é uma opção politica e é errada, pois o Barreiro continua a não conseguir criar mecanismos para atrair novas famílias, ou, sequer, para fixar famílias barreirenses mais jovens”, acrescenta.