A Câmara Municipal de Palmela distinguiu, no domingo, os bombeiros do concelho, com a atribuição, pela primeira vez, da Medalha Municipal de Comportamento Exemplar, numa cerimónia realizada no Cine-Teatro S. João, em Palmela.

A Medalha Municipal de Comportamento Exemplar destina-se a galardoar os agentes dos bombeiros voluntários com 15 (grau cobre), 20 (grau prata) e 25 anos (grau ouro) de bom e efectivo serviço, em situação de actividade no quadro, sem sanções disciplinares, e que, ao longo deste período, tenham boa informação de serviço e exemplar comportamento, demonstrando qualidades morais e profissionais, e que não possuam, nos últimos cinco anos, avaliação de desempenho inferior a bom. Foram distinguidos quase três dezenas de bombeiros, das três corporações do concelho (Palmela, Pinhal Novo e Águas de Moura).

Para o presidente da câmara, Álvaro Amaro, este “momento de reconhecimento e valorização devidos” representa “mais um passo no estreitamento das relações de trabalho e cooperação entre o município e as três associações de bombeiros do concelho”. “Orgulhamo-nos de ter no nosso concelho uma relação privilegiada de trabalho com as três associações, que tem vindo a ser consolidada ao longo de décadas”, salientou Álvaro Amaro. Por isso, referiu, o município tinha, “desde há muito, esta vontade de incluir os bombeiros nas condecorações que anualmente atribui”. “Este desiderato precisou, no entanto, de um trabalho aturado de consensualização de critérios, que demorou algum tempo, mas viria a consubstanciar-se numa alteração ao Regulamento das Condecorações do Município de Palmela. Foi um longo percurso, mas valeu a pena”, congratulou-se.

“Era de uma profunda injustiça que não dessemos aos bombeiros o reconhecimento da sua acção”, admitiu Ana Teresa Vicente, presidente da Assembleia Municipal de Palmela, lembrando que os bombeiros, para além das suas funções diárias de protecção e socorro, “estão também na educação das crianças e na acção solidária junto de outras associações”. “Palmela é mais rica com a vossa intervenção”, elogiou.

“Fomos nós os culpados deste atraso”, reconheceu Octávio Machado, presidente da direcção dos Bombeiros Voluntários de Palmela, lembrando as “divergências que não faziam sentido”. Octávio Machado agradeceu aos bombeiros “toda a disponibilidade que demonstraram” e o “número de horas que dedicaram a todos os que necessitavam deles”. Para José Calado Gertrudes, presidente da direcção dos Bombeiros Voluntários de Pinhal Novo, “era de mérito a câmara lembrar-se de atribuir esta medalha”, que é “mais que merecida”. “Este é um dia muito especial. Andava-se há muitos anos a tentar discutir este regulamento, ainda bem que foi aprovado”, reconheceu António Braz, presidente da direcção dos Bombeiros Mistos de Águas de Moura.

Protocolo promove igualdade de género

Na mesma cerimónia, foi também celebrado um protocolo de parceria no âmbito do desenvolvimento do Projecto “EQUO – Igualdade de Género na Economia Social e Solidária”, entre a câmara, a Questão de Igualdade – Associação para a Inovação Social, a Associação de Estudos de Economia Solidária do Atlântico – ACEESA e as três associações de bombeiros. Este projecto tem como objectivo “fomentar a modernização, empowerment e melhoria do desempenho das ONG da Economia Social e Solidária, através da incorporação do mainstreaming de género nas práticas institucionais”, refere o protocolo.

Ana Isabel Paixão, da Questão de Igualdade, realçou que a associação está “muito satisfeita por a câmara ter aceite este desafio e por poder incluir as associações de bombeiros”. “São as únicas corporações de bombeiros que aceitaram este desafio. Estamos a ser pioneiros em Palmela com esta temática da igualdade de género”, referiu.