O executivo da Câmara Municipal do Barreiro comprometeu-se a estudar “os prós e os contras” da criação da Polícia Municipal no concelho, uma proposta apresentada na última sessão de câmara pelo vereador do PSD, Bruno Vitorino.

Esta proposta não foi votada, tendo sido retirada pelo social-democrata após garantia do executivo em estudar a mesma, prometendo apresentar o resultado desse estudo daqui a três meses.

Bruno Vitorino defende que a Polícia Municipal é um serviço indispensável para aumentar a segurança no concelho, reforçar o sentimento de segurança das pessoas, e para preservar a qualidade do espaço público.

Esta proposta tem vindo a ser defendida pelo PSD nos últimos anos, entendendo os social-democratas que a implementação de um serviço de polícia municipal permite reforçar a segurança junto das escolas e comércio local, de pessoas e bens, de transportes públicos, do património público, e aumentar o sentimento de segurança, cooperando ainda com as forças de segurança na manutenção da tranquilidade pública e na proteção das comunidades locais.

“A criação de uma polícia municipal é também uma ajuda para as outras forças policiais, pois os seus meios humanos e financeiros, apesar de todo trabalho e esforço dos seus elementos, não são os suficientes”, refere.

Bruno Vitorino diz ainda que a polícia municipal teria um papel importante no combate aos pequenos delitos e ao incumprimento de regulamentos municipais tais como o vandalismo no espaço público, grafittis, destruição de papeleiras e outro mobiliário urbano, bem como disciplinar o trânsito e o combate ao estacionamento abusivo, mas também no apoio ao programa “Escola Segura” para reforçar a segurança das crianças do concelho.

Bruno Vitorino diz ainda que quer acabar com a impunidade de algumas pessoas que não têm respeito nem consideração pelos outros, nomeadamente em situações com o abandono de sacos de lixo na via pública e a irresponsabilidade de alguns donos que insistem em não apanhar os dejetos dos seus animais, com todas as consequências para a limpeza das nossas ruas e mesmo para a saúde pública.

“Aguardaremos pelo estudo, mas não deixaremos de defender esta bandeira que, na nossa opinião, muito ajudaria a melhorar a qualidade de vida do concelho”, concluiu o autarca.