A Câmara Municipal de Setúbal aprovou, na última reunião pública, a prestação de contas 2014. Na área “síntese e perspetivas futuras”, é salientado que a conjugação da redução da despesa com um aumento da receita arrecadada “originou um aumento de 5,5 por cento dos pagamentos realizados” e “levou à redução da dívida a terceiros em 3,9 por cento”.

O documento camarário sublinha que os resultados positivos em termos financeiros foram alcançados “num dos anos mais difíceis e exigentes das últimas décadas”, no qual ocorreu um “dos maiores e mais violentos ataques à autonomia, independência e competências” do poder local, que incluiu nova “redução das transferências para as autarquias”. CM Setúbal_redução de dívidas

Apesar dos constrangimentos, a Câmara Municipal de Setúbal, revela a prestação de contas 2014, conseguiu “aliar o reequilíbrio financeiro ao prosseguimento de uma política de regeneração do concelho”. “A transformação da cidade e do concelho, em resultado da estratégia definida de trabalhar sempre para termos Mais Cidade, está a produzir resultados visíveis na procura turística e na procura de novos investidores, que nos trazem mais trabalho e mais riqueza”, indica o documento.

Na prestação de contas 2014, que vai ser votada pela Assembleia Municipal de Setúbal, a autarquia reafirma o empenho na “consolidação e avanço de um desenvolvimento harmonioso e sustentável” para o concelho, “procurando, ao mesmo tempo, responder com eficácia às múltiplas e diversificadas necessidades da população”. A candidatura de programas e projetos a financiamento dos fundos europeus, já verificada em anos anteriores, é para continuar, garante o município, em que se enquadram a construção do Parque Urbano da Várzea, da nova Biblioteca Pública Municipal e do Terminal 7, a par da recuperação geral do Convento de Jesus.