Câmara havia aprovado, com a abstenção da oposição (CDU e PSD), fixar o valor da taxa em 0,43%. Mas, na Assembleia Municipal CDU e PSD, com a abstenção do BE, fizeram passar uma proposta alternativa, com maior redução

O Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) vai baixar para 0,40% em 2017 no Montijo, depois de a Assembleia Municipal ter aprovado, por maioria, uma proposta apresentada pela bancada da CDU, na reunião deste órgão, realizada na última sexta-feira. Isto, depois de a Câmara, presidida por Nuno Canta, ter feito passar em reunião do executivo camarário uma proposta, da gestão socialista, que fixava o valor da taxa de IMI para o próximo ano em 0,43%, com os votos a favor do PS e as abstenções da oposição (CDU e PSD).

Na última reunião da Assembleia Municipal, a CDU, porém, decidiu apresentar uma proposta alternativa à aprovada na reunião de câmara, de maior redução do imposto (0,40%), a qual acabou por merecer o acolhimento da maioria do órgão presidido por Maria Amélia Antunes – ao invés da proposta de 0,43% que vinha aprovada da reunião do executivo camarário, que foi, também ela, apresentada mas chumbada na Assembleia Municipal.

Com os votos favoráveis de CDU e PSD, e a abstenção do Bloco de Esquerda e de um deputado socialista (Alcídio Torres) – o PS votou contra –, a proposta da CDU foi ratificada e o órgão Assembleia Municipal acabou, assim, por impor que a Câmara delibere fixar a taxa de IMI para o próximo ano em 0,40%, para os prédios urbanos avaliados em CIMI.

Nuno Canta acusa CDU de ‘desautorizar’ os seus próprios vereadores

Ontem, Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal, considerou que a CDU “desautorizou os seus próprios eleitos” na vereação. De acordo com o socialista, a decisão da CDU em apresentar uma proposta alternativa (com uma taxa de 0,40%) na Assembleia Municipal acabou por atropelar aquele que foi o sentido de voto dos vereadores da coligação, uma vez que, reforçou, na reunião de câmara os eleitos da oposição abstiveram-se, levando à aprovação da proposta da gestão camarária do PS que estabelecia a redução da taxa do imposto de 0,45 para 0,43% no próximo ano.

“Com a redução para 0,40% aprovada pela Assembleia Municipal, a Câmara deixará de encaixar cerca de um milhão de euros”, disse o presidente da Câmara, à margem de uma visita às obras que decorrem na Escola Secundária Jorge Peixinho e também aos trabalhos de construção do acesso rodoviário ao Bairro da Bela Colónia.

A concluir, Nuno Canta salientou que “a oposição deverá assumir a responsabilidade” pelo impacto que quebra de receita poderá ter em “investimentos” a realizar.