A Assembleia Municipal do Barreiro aprovou, por unanimidade, uma moção em defesa do novo terminal de contentores de Lisboa no concelho, referindo que a infraestrutura pode ser um “importante pólo de desenvolvimento”. A Assembleia Municipal, órgão em que a CDU é força maioritária, realizou uma sessão extraordinária para debater o novo terminal de contentores no Barreiro, com várias forças políticas a apresentarem moções.

Assembleia Municipal_terminal de contentores_Barreiro

Após uma intervenção do presidente da autarquia, Carlos Humberto, do Partido Comunista Português (PCP), que apelou à união, os grupos municipais dos vários partidos reuniram-se e conseguiram chegar a acordo num documento que foi aprovado por unanimidade por todas as forças politicas representadas no órgão, Coligação Democrática Unitária (CDU), Partido Socialista (PS), Partido Social-Democrata (PSD), Bloco de Esquerda (BE) e Movimento Independente. “Temos procurado colocar o assunto no mapa dos investimentos do país” e o “Barreiro é o único local em estudo para receber o terminal. Temos vários interessados e o concurso para o Estudo de Impacte Ambiental e Estudo Prévio de Engenharia deve avançar em maio”, disse Carlos Humberto.

O autarca referiu que o investimento não deve ser visto como apenas um aumento da atividade portuária no concelho, mas sim como uma Plataforma Multimodal no Barreiro. “Queremos que seja mais que um porto, queremos que seja uma plataforma portuária, logística, industrial e tecnológica, não apenas na área conquistada ao rio”, mas também “nos mais de 350 hectares do Parque Empresarial da Baía do Tejo e de outros territórios anexos”, defendeu.

Apesar de ser o único local a ser analisado, Carlos Humberto referiu que é preciso continuar a trabalhar para que o terminal de contentores no Barreiro seja uma realidade. “Penso que é um processo cada vez mais irreversível”, mas “a decisão do governo foi de estudar mais aprofundadamente a localização no Barreiro, o que não é a mesma coisa que decidir. Temos que ter cautela e continuar a trabalhar para que o projeto avance, até porque existe quem não esteja de acordo”, frisou. O autarca anunciou também que vão ser realizados debates sobre as questões portuárias.