António Mendes é irmão da actual líder distrital, Ana Catarina Mendes, e da corrente de António Costa. Carlos Dias, militante em Sesimbra, dá a cara pela oposição interna 

As eleições para a Federação Distrital de Setúbal do PS, marcadas para o próximo dia 4 de Março, vão ser disputadas por duas listas.

A lista A é encabeçada por Carlos Dias Seguro, militante de Sesimbra, apoiado sobretudo por socialistas daquela secção, mas também de outros concelhos, numa candidatura vista como da oposição a António Costa.

ps1

À frente da lista B aparece António Mendes, irmão da actual líder distrital e secretário-geral-adjunta do partido, numa candidatura de continuidade, apoiada pelos principais nomes do PS na região, com ligação a Costa. Entre os apoiantes de António Mendes estão todos os deputados rosa eleitos pelo distrito, como, por exemplo, Eduardo Cabrita ou Catarina Marcelino, que são também membros do Governo.

António Mendes, que tem como mandatário da candidatura Amadeu Penim, ex-presidente da Câmara de Sesimbra, concorre sob o mote “Lideramos o Futuro”.

A moção de Carlos Dias, intitulada “Por Setúbal, Juntos e Mais Unidos”, que foi escrita em Sesimbra, enaltece a Liberdade apesar da crise.

“Vivemos tempos maus, enfrentamos dificuldades, ralhamos uns com os outros, mas estamos aqui em Liberdade a programar o futuro do nosso País”, lê-se.

As eleições de dia 4 de Março, além da escolha do próximo presidente da Federação de Setúbal, vão eleger, também, os delegados ao congresso distrital do partido.