Os trabalhadores da Unicervi vão, ao fim de 17 anos, receber o dinheiro das indeminizações que lhes são devidas, anunciou a União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN.

Os valores em falta para com os ex-trabalhadores da distribuidora de Palmela, devem-se a salários em atraso e indeminizações por despedimento, no seguimento do processo de falência que já dura, em tribunal, desde 1999.

Apenas depois de um recurso para o Tribunal da Relação é que foi dada prioridade aos 141 funcionários, sobre os restantes credores e assim, ao fim de 17 anos, o Tribunal do Comércio de Lisboa vai então iniciar os pagamentos no valor de mais de 1 milhão e 748 mil euros.

Os trabalhadores sentem-se aliviados e apenas recordam que apesar de tanto tempo, finalmente se “fez justiça”.