A Base Aérea n.º 6, em Montijo, é a “hipótese que melhor serve o interesse do país e da região” para acolher um aeroporto complementar ao da Portela. Esta foi a posição manifestada pelo presidente do conselho de administração da Aeroportos de Portugal (ANA), Jorge Ponce de Leão, aos deputados parlamentares do Partido Social-Democrata (PSD) eleitos pelo círculo de Setúbal, na última quinta-feira.

Em reunião com o presidente do conselho de administração da ANA, os social-democratas foram informados de que “a construção de um aeroporto complementar no Montijo seria uma solução muito interessante do ponto de vista turístico, sendo esta opção a mais interessante e mais vantajosa para o país”, revela o PSD, em nota de imprensa, citando de seguida a deputada Maria das Mercês Borges que também é vereadora no município montijense eleita pelo partido laranja.

“A ANA partilha da nossa opinião, de que a opção mais indicada seria o Montijo, tendo em conta a sua localização e a sua compatibilização, pois aumentaria a capacidade do aeroporto de Lisboa, permitindo que este continuasse na capital, com custos muito reduzidos face à construção de novas infra-estruturas” refere a deputada. De acordo com a deputada social-democrata, este, de resto, é um projeto que deve “avançar o quanto antes”, até porque, defende, a implantação de um aeroporto complementar “permite atrair o investimento de empresas e de outras entidades, gerando a criação de postos de trabalho na região”.

Na mesma nota, Mercês Borges criticou ainda o posicionamento de Nuno Canta no processo. “É bom ver que o presidente da câmara do Montijo já mudou de opinião em relação a esta hipótese, juntando-se agora ao PSD na defesa do aeroporto complementar na Base Aérea n.º 6”, considerou a social-democrata.