A par destes prémios, a empresa tinha-se destacado anteriormente também num concurso de vinhos francês, o Vinalies Internationales

Os vinhos da Adega Cooperativa de Palmela foram premiados no concurso internacional Femmes et Vins du Monde 2016, no Mónaco. Para além das três medalhas de prata obtidas, a empresa conquistou também uma medalha de ouro na categoria de Rotulagem.

Os três vinhos da Adega de Palmela que conquistaram a medalha de prata foram o Vale dos Barris Branco, com 83 pontos, o Villa Palma Tinto DO 2013, com 82,2 pontos, e Vale dos Barris Rosé 2015, com 80,2 pontos. Paralelamente, o vinho Villa Palma Tinto DO 2013 recebeu também a medalha de ouro na categoria de Rotulagem.

A Adega de Palmela foi a única empresa da região da Península de Setúbal premiada neste concurso. Ao todo, obteve três das seis medalhas arrecadadas por Portugal e uma das três medalhas conquistadas a nível nacional na categoria de Rotulagem.

Na sua 10.ª edição, o Femmes et Vins du Monde é o primeiro concurso de vinhos francês em que os vinhos de França e do resto do mundo são exclusivamente degustados por mulheres, profissionais e enólogas, francesas e não só.

 

Ouro e prata no Vinalies

Recentemente, a Adega de Palmela venceu também uma medalha de ouro, com o vinho Villa Palma Tinto Colheita Seleccionada 2013, e uma de prata, com o Vale dos Barris Syrah 2013, no concurso Vinalies Internationales 2016. Organizado pelos enólogos mais experientes do mercado vinícola francês, o Vinalies Internationales leva a prémio mais de 3.500 garrafas diferentes de todo o mundo.

O Villa Palma Tinto Colheita Selecionada 2013 representa um vinho especial composto pelas castas Castelão, Aragonês, Syrah e Cabernet Sauvignon, de uma colheita seleccionada desse ano, com estágio em barricas de carvalho francês e americano. O seu lançamento será este ano, uma vez que o recentemente medalhado se encontra ainda em engarrafamento e respectiva rotulagem após a sua produção ter sido interrompida. “A Adega de Palmela optou por deixar repousar o Villa Palma durante uns anos, para torná-lo um vinho único, com uma produção seleccionada. Foi isso que aconteceu: ainda antes de ser engarrafado, foi medalha de ouro”, afirma um dos responsáveis da empresa.