Texto de protesto da CDU foi aprovado também por PS e pela coligação PSD/CDS-PP. Vereador da direita diz que moção “está mais soft do que habitual” devido à “compreensão que PCP e PEV têm para com o Governo PS”

 

A Câmara Municipal de Palmela aprovou, por unanimidade, na reunião pública, uma moção de protesto contra a não construção do pavilhão desportivo da Escola Secundária de Palmela, tendo o presidente da Autarquia, deixado bem claro que se trata de uma responsabilidade do Governo e que o município se tem empenhado junto da tutela, com reuniões e propostas, mas sem êxito até ao momento.

“Iniciamos, dentro de dias, mais um ano lectivo. No nosso território, 1200 alunos da Escola Secundária de Palmela continuarão a não usufruir de instalações desportivas cobertas. Mantém-se, assim, uma situação que, há mais de uma década e meia, inviabiliza a plena prática da disciplina de Educação Física, durante grande parte do período escolar.”, lê-se no texto da moção.

O documento refere que após uma reunião, em Maio último, com a secretária de Estado Adjunta e da Educação sobre duas propostas apresentadas pela Câmara de Palmela, e “apesar das frequentes insistências para um ponto de situação, como ficara acordado, o município não conseguiu obter qualquer resposta, fazendo supor que a construção do pavilhão desportivo da Escola Secundária de Palmela continuará a ser adiada”.

A autarquia diz expressar, por isso, a sua “profunda incompreensão face à ausência de resposta do Ministério da Educação”. A oposição votou também a favor da moção, mas o PS não gostou da redacção do texto.

“Não nos revemos nesta [expressão] “profunda incompreensão”, disse o vereador Pedro Taleço (PS), recordando que o Governo socialista tem “apenas um ano”.

Ao contrário, por parte da coligação PSD/CDS-PP, Paulo Ribeiro assinalou o que diz ser a “compreensão de PCP e PEV para com o actual Governo. “A moção está mais soft do que o habitual”, disse.