As substâncias húmicas encontram-se presentes nos ambientes aquáticos e estão envolvidas em diversas reações responsáveis pela circulação de substâncias orgânicas e inorgânicas no meio natural. Uma das fontes mais importantes destas substâncias húmicas advém da sua solubilização pela passagem da água pelo solo. A proporção de substâncias húmicas dissolvidas na coluna de água pode atingir os 70 a 80% dependendo das características do solo.


A presença destas substâncias húmicas tende a gerar turvação na água e a aumentar os teores de matéria orgânica dissolvida e particulada na água superficial que é captada para abastecimento das populações. Estas substâncias húmicas podem formar complexos com metais pesados presentes na água, resultado de flutuações de pH nos meios aquáticos e sua libertação dos sedimentos ou do solo para a coluna de água. Estas mesmas substâncias húmicas podem também promover o crescimento de microrganismos pois constituem matéria orgânica residual que pode ser usada pelos microrganismos como substrato para o seu crescimento e manutenção celular.


Existe necessidade de efetuar o tratamento da água para abastecimento das populações de forma a remover estas partículas e substâncias húmicas dissolvidas e em suspensão. A sequência de operações numa estação de tratamento de água de uma captação superficial que apresente substâncias húmicas dissolvidas ou particuladas inclui uma etapa de coagulação-floculação, decantação, filtração e desinfeção. Na etapa de coagulação-floculação existe adição de uma substância capaz de agregar as partículas e torna-las de maior dimensão para mais facilmente serem sedimentadas e separadas da água. A água resultante desta etapa de separação poderá ainda conter algumas partículas residuais e necessitando de uma filtração para garantia da sua completa remoção. Esta etapa final poderá ainda complementada com a presença de carvão ativado que permitirá a remoção de substâncias orgânicas dissolvidas. No final destas etapas e para garantir a qualidade da água a distribuir procede-se à desinfeção por cloragem. Na etapa de desinfeção, podem ainda gerar-se subprodutos da reação de cloragem com as substâncias húmicas formando compostos organoclorados. O teor destes compostos designados habitualmente por trihalometanos é controlado.


As entidades gestoras e responsáveis pelo tratamento de água tendem a otimizar cada etapa de tratamento para garantir uma água de boa qualidade e que esteja de acordo com os valores de referência para os diversos parâmetros que são necessários medir em termos legais.


Uma das etapas muito importante neste processo é o estabelecimento da concentração certa do coagulante na etapa de agregação das partículas e respetivo ajuste de pH ideal para ocorrer o processo de aglutinação das partículas.


A presença ou ausência destas substâncias húmicas nos meios naturais podem ter também efeitos importantes na eficácia do efeito da radiação solar na degradação de outras moléculas orgânicas, como pesticidas, sustâncias consideradas disruptores endócrinos presentes em quantidades residuais na água. A presença de substâncias húmicas dissolvidas ou particuladas pode ter um efeito de blindagem sobre a presença destes compostos e evitar esta sua destruição no ambiente natural. Muitos dos compostos orgânicos, quando presentes nos meios naturais, podem facilmente absorver as partículas como as substâncias húmicas do solo ou a ácidos húmicos.


A presença de águas doces com elevados teores de iões dissolvidos e em conjunto com a presença de substâncias húmicas também dificulta a destruição de outros compostos orgânicos indesejáveis na água e que poderiam ser destruição sob ação da radiação solar no meio natural. Tal como as substâncias húmicas, os sais também presentes podem aumentar o efeito de blindagem e minimizar o efeito da radiação solar sobre a destruição dos compostos orgânicos.


Do balanço da eficácia das reações químicas, na sua maioria de oxidação e em conjunto com os processos de adsorção no meio natural, poderemos ter maior ou menor facilidade no tratamento da água numa estação de tratamento de água (ETA) com maior ou menor gasto de substâncias necessárias ao tratamento e consequentemente o próprio custo de tratamento poderá ser maior ou menor.


São realizados estudos em laboratório frequentemente ao longo do ano para otimizar cada etapa de tratamento de modo a tentar reduzir ao máximo os custos associados ao tratamento da água.

The following two tabs change content below.

Ricardo Salgado

Coordenador do curso de Engenharia do Ambiente
Docente e coordenador do curso de Licenciatura em Engenharia do Ambiente da ESTSetúbal; Investigador na área do Ambiente, em particular no tratamento de águas residuais.

Últimos textos de Ricardo Salgado (ver todos)