Carolina Almeida Cruz depois de realizar uma viagem à India, Nepal e Tibete, onde viveu e trabalhou com as comunidades locais durante o ano de 2010, traz consigo uma filha muito especial que nasce a 20 de janeiro de 2012, a SAPANA.org.

   

O contexto desprivilegiado e as difíceis condições  que partilhou com as pessoas locais falaram mais alto e tornaram evidente a necessidade de acordar, de atuar e de melhorar.

   

“Sapana” significa Sonho – em alguns dialetos do Nepal e Índia – e, como afirma a Carolina “é com base nos Sonhos que despertamos, aprendemos e fazemos”.

   

A SAPANA.org é uma organização sem fins lucrativos que vai fazer, já no próximo mês, 3 anos de vida e por isso apresenta a força e o dinamismo de qualquer jovem. Movida pelo sonho de tornar a paixão pelo desenvolvimento e plenitude do ser humano em ação concreta – from passion to action, trabalha apaixonadamente em Portugal e na Índia, focada na consciencialização e capacitação de pessoas e organizações para a sua sustentabilidade, dignidade e vontade de mudar.

   

Na SAPANA.org quer a nível nacional quer internacional os projetos são implementados em dois eixos distintos – Awakening (despertar de consciências para determinadas temáticas) e Empowerment (projetos capacitação para individuos/ comunidades) – mas que se complementam mutuamente. Os temas de trabalho, desde 2012, têm sido: Desemprego (através do projeto Talentos em Livre Trânsito), Minorias étnicas (com o projeto POWERty e Back to Basics) e Prisões (no nosso mais recente projeto, Breaking Bars).

   

Todos os projetos têm como base o desenvolvimento e a sustentabilidade do ser humano.

   

Como diz a Carolina “Na SAPANA.org trabalhamos de pessoas para pessoas!”

 

Nesta ONG a Missão é:

   

Acreditar no potencial do Ser Humano. Acreditar que o desenvolvimento das suas paixões e competências é a chave para potenciar a sustentabilidade do Ser enquanto agente de mudança individual e na comunidade em que se insere.

   

A Visão na SAPANA.org é:

   

Querer ser uma organização ícone em Portugal no que diz respeito à consciencialização e dinamização social referente a realidades sociais emergentes bem como desenvolver um trabalho de referência de excelência na área da igualdade e sustentabilidade humana tanto a nível nacional como internacional.

   

Os seus Valores são:

   

Paixão – pelo desenvolvimento e dignidade humana;

Inovação – na metodologia e abordagem ao desenvolvimento;

Sustentabilidade –  individual e comunitária através de capacitação permanente;

Empatia – para a mudança;

Dignidade – um direito teu, meu e de todos nós!

   

Qualquer um de nós pode fazer parte desta família. Para isso, basta escolher o formato de participação que mais se adequa ao seu perfil:

   

Voluntário(a) SAPANA.org – Oportunidade de participar ativamente nos projetos, experienciar o trabalho de terreno e trabalhar lado-a-lado com a Equipa Sapónica na mudança positiva da sociedade. Podes ainda participar nas tertúlias e assistir às formações internas e atividades de team building.

   

Coach SAPANA.org – Possibilidade de participar, em regime voluntário, nos projetos que integram a vertente de apoio periódico prestado ao(s) participante(s) no desenvolvimento de determinadas competências, como por exemplo, o projeto TLT – Talentos em Livre Trânsito. (Esta opção só se aplica a coaches certificados ou em processo de certificação)

   

Mentor(a) SAPANA.org – Oportunidade de, em regime voluntário, integrar o projeto TLT – Talentos em Livre Trânsito no âmbito de tutoria periódica ao(s) participante(s) que integram o programa.

   

A 3 de dezembro de 2013 na página EI do Montepio, Carolina deixou-nos a seguinte mensagem sobre a poupança e a sustentabilidade:

   

“Não posso comprar roupas nos saldos como fazia antigamente. Sempre que me falam da gestão financeira, pessoal ou da Sapana.org – ONGD da qual sou presidente executiva – viajo no meu pensamento de volta à Índia, Nepal e Tibete. Ali fui colocada à prova e forçada a regressar à sobrevivência básica do ser humano, ou seja, aprender a viver sem os privilégios que temos na nossa sociedade. Falo de água potável, de eletricidade e de todas as mordomias que possuímos, e que nem sempre valorizamos. Permitiu-me adaptar e, além disso, criar uma visão holística sobre a melhor forma de aproveitar os recursos que tenho ao meu redor, e ser sustentável.

E o que significa ser sustentável? Significa satisfazer a necessidade da geração de hoje sem comprometer a futura, assente num desenvolvimento social, económico e ambiental saudável. Da teoria para a prática, basta começar com pequenos gestos de reciclagem, práticas de consumo como evitar compras impulsivas, ou simplesmente, e retomando às minhas memórias de viagem, reduzir o tempo de banho e de água desperdiçada.

Como consequência, sou uma pessoa focada em rentabilizar o que tenho ao meu dispor, alterando hábitos quotidianos como poupança de combustível, utilização de ar condicionado e até à correta pressão dos pneus fico atenta já que, quando vazios, aumentam o consumo.

A necessidade de ser sustentável, no contexto da realidade económica em que vivemos, obriga ao desenvolvimento de um futuro consciente perante uma sociedade organizada, proativa e parceira, que contribua para a prevenção de problemas sociais e para a redução de custos coletivos.”

   

Para todos vós um Feliz Natal.

   

Namastê.

   

Webgrafia:

http://sapana.org/pt

https://www.facebook.com/Sapana.org/timeline

http://ei.montepio.pt/carolina-almeida-cruz-poupar-necessidade-de-ser-sustentavel/

The following two tabs change content below.

Margarida Martins

Presidente da Assembleia-geral da Associação Juvenil Odisseia
Fundadora da Associação Juvenil Odisseia em 1998 procurou dar uma resposta alternativa ao associativismo local. Licenciada em Psicologia, Mestrado em Orientação e Desenvolvimento da Carreira e Doutoramento em Excelência Empresarial, trabalha na área da educação há mais de 30 anos. A educação é o seu grande objectivo lutando para a adequação de estratégias perante os desafios do século XXI. No presente, encontra-se a participar no projeto nacional "A New Beginning for Portugal".

Últimos textos de Margarida Martins (ver todos)