Foi em junho de 2006 que o PROVE fez a primeira entrega de cabazes de frutas e legumes, em Palmela e Sesimbra, através de núcleos constituídos respetivamente por 2 e 3 produtores, e com um total de cerca de 30 consumidores em cada local de entrega.

Atualmente estão constituídos 87 núcleos PROVE, 132 produtores envolvidos, 7.000 consumidores abrangidos, 37,5 toneladas de produtos transacionados semanalmente, 112 locais de entrega e um volume de negócios superior a 2.600.000 euros/ano.

Através do PROVE são constituídos núcleos de pequenos agricultores, normalmente compostos por três ou quatro elementos, que, todas as semanas reúnem as suas produções e preparam um cabaz de hortofrutícolas que entregam diretamente ao consumidor final, sem a interferência de intermediários. Os agricultores tornam-se assim empresários, donos de um negócio que começa na produção agrícola e termina no contacto direto com o consumidor.

O sucesso do PROVE tem passado essencialmente por uma estreita relação de confiança e proximidade entre produtores e consumidores, o que tem induzido várias mudanças e impactos a diferentes níveis. Uma das principais mudanças prende-se com a revalorização da actividade agrícola por parte dos consumidores, que se mostram cada vez mais sensibilizados e interessados em adquirir produtos locais de qualidade, manifesto no crescimento das vendas de cabazes. Mas também se notam efeitos ao nível dos produtores, que aumentaram a sua área de produção, melhoraram as suas condições produtivas e diversificaram a sua oferta de produtos, para satisfazer os seus clientes e respetivos agregados familiares.

Inicialmente o PROVE teve o apoio da Iniciativa Comunitária Equal e posteriormente da Cooperação LEADER do PRODER 2007-2013. Estes apoios foram fundamentais, uma vez que permitiram criar um conjunto de ferramentas de apoio à implementação e disseminação da metodologia PROVE em diversos territórios e à constituição e dinamização de uma rede de parceiros locais e regionais, que prestam apoio técnico e logísitico aos produtores e consumidores, e que integram Autarquias, Associações de Desenvolvimento Local, Empresas, Associações de Produtores e Cooperativas de Consumidores, entre outros.

O PROVE tem tido um importante efeito demonstrativo e multiplicador, consciencializando para a importância do consumo local e do apoio aos produtores, mas também para a mobilização e estabelecimento de redes de proximidade territorial. Talvez por isso, o PROVE tem sido referido em diversos estudos e comunicações como um caso de sucesso, tendo recebido já diversas distinções por parte de instituições nacionais e europeias, merecendo destaque a referencia como projeto do mês por parte da Rede Rural Europeia, a nomeação de iniciativa de elevado potencial de empreendedorismo social por parte do IES e exemplo de boa prática de sustentabilidade pelo Observatório para Sustentabilidade da Área Metropolitana de Lisboa.

Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, que tem como objetivo a promoção e a realização do desenvolvimento da Península de Setúbal.

Últimos textos de Adrepes (ver todos)