Com a entrada de um novo ano, importa não só analisar o passado, com todas as lições que o mesmo nos trouxe, mas sobretudo preparar o futuro.

   

2015 trará seguramente novos desafios para a protecção civil no distrito de Setúbal, para os quais importa estar, como sempre, preparados e prontos não só para reagir e responder mas também para antever as situações mais críticas, procurando, proactivamente, soluções sustentadas e que permitam garantir, sempre, a máxima protecção e segurança aos nossos cidadãos, património e ambiente.

   

O Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal permanece atento à realidade do distrito, em estreita articulação com o patamar municipal e demais agentes de protecção civil, e sempre em observância por aquelas que são as determinações superiores.

   

Como tal, tentaremos neste novo ano continuar a desenvolver os projectos em curso e, por outro lado, agarrar novas áreas estratégicas que importa implementar e fortalecer, como sejam os planos prévios de intervenção para os principais eixos ferroviários do distrito, o plano de emergência para a Barragem de Odivelas, a inclusão cada vez mais dinâmica das Juntas de Freguesia no Sistema de Protecção Civil, a criação de estruturas de coordenação activas na área da saúde, a realização de exercícios, a preparação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais e ainda a dinamização do Centro de Coordenação Operacional Distrital e da Comissão Distrital de Protecção Civil.

   

Os Corpos de Bombeiros, enquanto pedra basilar do sistema de protecção e socorro em Portugal, ocupam um lugar de destaque nas nossas prioridades, nomeadamente no que se refere à sustentação da sua actividade, seja na área formativa, seja na área operacional. Importa garantir, a todo o momento, a resposta ao socorro de forma cada vez mais profissional e apoiada numa real capacidade técnica.

   

Sendo o nível local a base da pirâmide em que se constitui o nosso sistema, assume-se como fundamental um permanente e continuado apoio aos Serviços Municipais de Protecção Civil, Juntas de Freguesia, escolas e demais organizações, como uma via absolutamente crítica para o aumento da resiliência global do país e da capacidade nacional para enfrentar os perigos que advêm das sociedades modernas e desenvolvidas.

   

Numa altura em que as necessidades de eficiência quase sempre se sobrepõem às de eficácia, o desafio passa seguramente pela identificação de soluções criativas que permitam à protecção civil, enquanto tarefa transversal a toda a sociedade, ir mantendo a sua capacidade para alcançar os objectivos a que se propõe e para o cabal cumprimento da sua missão.

   

Os cidadãos do distrito de Setúbal são assim peões fundamentais neste tabuleiro onde se joga o nosso dia-a-dia. Comunidades atentas e preparadas são comunidades mais seguras e mais resilientes, pelo que o nosso comportamento pode e deve fazer a diferença. Na nossa autoprotecção, na nossa exigência de civismo para com o próximo, na nossa preparação face aos perigos que nos rodeiam e até no nosso conhecimento dos fenómenos que nos podem afectar.

   

Na expectativa de um 2015 tranquilo e em segurança, trabalharemos todos, e com todos, para que o distrito de Setúbal seja cada vez mais um distrito preparado e capaz de enfrentar os desafios do futuro.Fotografia de capa por fotografar

The following two tabs change content below.

Patrícia Gaspar

Comandante Operacional Distrital de Setúbal

Últimos textos de Patrícia Gaspar (ver todos)