No ano em que o Terminal de Contentores do Porto de Sines completa dez anos de actividade, o mês de Outubro de 2014, foi o mês em que aquele Terminal atingiu um milhão de Teus movimentados em menos de um ano, e se bem que as acessibilidades ferroviárias não são as melhores, o Porto de Sines não tem parado de crescer.

Nenhum país tem sucesso económico sem projectos e negócios viáveis, e Portugal tem uma enorme fronteira marítima da qual pode extrair maior rentabilidade, sendo que os portos são essa mais-valia portuguesa que corresponde em maior dimensão, á movimentação das trocas comerciais, que são uma alavanca para uma economia em crescimento.

Mas num país a atravessar dificuldades financeiras, não podemos correr o risco de investirmos em projectos cujos constrangimentos inviabilizam a sua rentabilidade, como é o caso de um eventual Terminal de Contentores no Barreiro, em que conhecendo-se os condicionalismos, não seria certamente uma opção acertada.

Seria importante que as estruturas portuárias que já existem, fossem dotadas de acessibilidades capazes, ou corremos o risco de criar novas estruturas, em que os condicionalismos são um entrave ao seu desenvolvimento, e não convidam á captação de armadores.

Fotografia de capa por nmorao

The following two tabs change content below.

Américo Lourenço

Vigilante no Porto de Sines
Nascido em Lisboa a 29-06-1963, viveu a sua infância e adolescencia em S. Domingos de Benfica. Foi tripulante voluntário de um navio e na Expo 98, e outros acontecimentos. Vive em Sines desde 1992 onde colabora na área da segurança na estrutura portuária daquela cidade. Concluiu o 12º ano, e adquiriu o gosto pela leitura e pela escrita, e interessa-se pelas questões sociais, pelo debate de ideias, continuando a alimentar o sonho de um país melhor.

Últimos textos de Américo Lourenço (ver todos)