Sines foi em tempos uma freguesia que pertencia ao Concelho de Santiago do Cacém, ao distrito de Lisboa e à diocese de Beja, tinha 4374 habitantes sendo que 1751 eram homens e 1623 eram mulheres, e tinha em 1768, 480 fogos, havendo hoje uma considerável diferença e uma evolução positiva relativamente a outros tempos que enriquecem a história.

Depois de muitos anos a alertar a consciência política para a necessidade de em Sines haver uma unidade de saúde local, capaz de dar uma resposta mais eficaz a uma população carenciada, finalmente e dentro de poucos meses, Sines poderá contar com um novo Centro de Saúde.

Numa localidade cuja população oscila entre os 13 e os 15 mil habitantes, e que em face do previsível crescimento industrial, é natural que os números se alterem, importa referir que também é importante que os profissionais de saúde se sintam motivados a exercer a sua atividade, pelo que seria bom que Sines, fosse também um local aprazível para viver.

Sines é hoje uma cidade onde existem 8 mil utentes sem médico de família, pelo que a construção desta nova unidade de saúde, talvez possa ser um estímulo para se começar a escrever uma nova página na proteção de cuidados médicos em Sines.

Fotografia de nmorao

The following two tabs change content below.

Américo Lourenço

Vigilante no Porto de Sines
Nascido em Lisboa a 29-06-1963, viveu a sua infância e adolescencia em S. Domingos de Benfica. Foi tripulante voluntário de um navio e na Expo 98, e outros acontecimentos. Vive em Sines desde 1992 onde colabora na área da segurança na estrutura portuária daquela cidade. Concluiu o 12º ano, e adquiriu o gosto pela leitura e pela escrita, e interessa-se pelas questões sociais, pelo debate de ideias, continuando a alimentar o sonho de um país melhor.

Últimos textos de Américo Lourenço (ver todos)