Pois é! Estamos no princípio de uma nova era e Portugal está na vanguarda.


Francisco Mendes e Jorge Pinto, estudantes do mestrado em Automação Industrial da Universidade de Aveiro, em 2011 apresentaram no mercado nacional a primeira impressora 3D, toda ela concebida e fabricada em Portugal. Os dois jovens, engenheiros empreendedores, fundaram na incubadora da Universidade de Aveiro a BitBOX, empresa que deu origem à BeeVeryCreative, e que desenvolveu, segundo os especialistas, o melhor controlador de impressão 3D do mercado – o R2C2. Ao longo de 18 meses, a famosa BeeTheFirst, foi modelada, estruturada, desenvolvida, enfim… criada, por estes portugueses apaixonados pela tecnologia 3D.


Trata-se de um equipamento que, ligado a um computador pessoal, funciona de forma tão simples que até uma criança pode imprimir os seus próprios brinquedos.


No processo de impressão, a BeeTheFirst utiliza PLA, um polímero feito à base de milho que, para além de ser renovável, requer menos energia que outros materiais semelhantes.


O seu funcionamento não tem muitos segredos. O utilizador pode fazer download de qualquer um dos milhares de objectos existentes em sites sociais ou mesmo desenhar a peça no seu computador pessoal, através de um qualquer programa informático de modelagem 3D, e de seguida dá a ordem para a impressora imprimir. Então, camada por camada, o modelo que anteriormente era apenas desenho irá transformar-se num corpo sólido. Dependendo do volume e da complexidade da peça, assim o tempo de impressão, por exemplo, um objeto de tamanho médio, com o volume de um telemóvel, pode demorar 30 minutos a ter corpo, já um objeto grande, que ocupe o espaço de um livro de mil páginas, pode demorar até 5 horas.


A utilidade deste equipamento, que ocupa o espaço de uma impressora de papel normal, segundo os seus criadores, tem “o céu como limite” e tem a vantagem do seu custo ser apenas um terço do preço das suas congeneres estrangeiras, tornando-a mais acessível e mesmo mais apetecível. Depois de ter sido considerado o Produto do Ano 2013 pela revista Exame Informática e de ter tido várias menções de impressora mais ‘sexy’ do mercado em múltiplos certames nacionais, a BeeTheFirst juntou à vitrina de troféus dois prémios dos mais cobiçados prémios internacionais entre as empresas da área da tecnologia 3D: o Best Consumer Printer e o Best Prosumer Printer no concurso do 3D PrintShow Global Awards de 2014, que anualmente decorre em Londres e que é um dos maiores encontros mundiais do sector das tecnologias de impressão a três dimensões. Também em 2014 a Make Magazine atribui-lhe o prémio Rookie of the Year. E com este já lá vão quatro em apenas três anos de vida.


Quem quiser ver mais pormenores poderá percorrer a cronologia na página do Facebook ou então fazer uma investigação no site: http://www.beeverycreative.com


No Twitter e no Youtube também se fala da BeeTheFirst, a impressora 3D mais sexy do mundo.




Webgrafia:

http://www.beeverycreative.com/

https://www.facebook.com/beethefirst?fref=ts

https://uaonline.ua.pt/pub/prd.asp?lg=pt&p=1032

https://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=39718

Fotografia de capa por Creative Tools

The following two tabs change content below.

Margarida Martins

Presidente da Assembleia-geral da Associação Juvenil Odisseia
Fundadora da Associação Juvenil Odisseia em 1998 procurou dar uma resposta alternativa ao associativismo local. Licenciada em Psicologia, Mestrado em Orientação e Desenvolvimento da Carreira e Doutoramento em Excelência Empresarial, trabalha na área da educação há mais de 30 anos. A educação é o seu grande objectivo lutando para a adequação de estratégias perante os desafios do século XXI. No presente, encontra-se a participar no projeto nacional "A New Beginning for Portugal".

Últimos textos de Margarida Martins (ver todos)