No passado dia 22 de março comemorou-se, mais uma vez, o dia Mundial da Água. Este dia foi criado pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, em 21 de fevereiro de 1993, tendo como objetivo alertar para a importância da água doce disponível no planeta, recurso em crescente escassez.


Em Portugal, em média, são desperdiçados mais de 400 milhões de litros de água para consumo humano, todos os dias. Equivale a um quinto da água captada. A maioria destas perdas é devido a fugas nas redes municipais de abastecimento.


Porém, este número é uma média, ou seja, existem municípios onde o volume de água perdido é muito maior, chegando mesmo a 70%. Outros municípios, investem na redução das perdas de água e conseguem atingir 7%, constituindo uma poupança deste recurso precioso, mas também do dinheiro dos contribuintes. Uma boa gestão da água implica, também, uma boa gestão dos recursos financeiros públicos.


Sempre que abrimos uma torneira de água e a vemos correr facilmente esquecemo-nos que 30% da população mundial vive com escassez de água e que, em África ou na Ásia, há pessoas que percorrem mais de seis quilómetros para encontrar água potável. Estima-se que em 2030 cerca de 60% da população mundial estará a viver com falta de água.


Existem regras básicas para poupar água como tomar duches mais rápidos, ao lavar os dentes, os legumes, a loiça, o carro ou fazer a barba dever-se-á fechar a torneira… entre outras. Beber água da torneira. Produzir garrafas de plástico e transportá-las até ao ponto de venda também consome água.


O dia mundial da água foi comemorado em todo o mundo e este ano o tema abordado foi “Água e desenvolvimento sustentável”. Nunca poderá existir desenvolvimento se não existir água e a ação tem que começar localmente para contribuir para o global.


Expressar amor e carinho é a melhor forma de fortalecer relacionamentos. Quando tratamos as nossas plantas e flores com carinho, elas vão crescer mais saudáveis e viçosas. Todas as pessoas têm formas diferentes de demonstrar carinho e amor, trata-se de um ato criativo de valorizar e criar laços. Ao não demonstrar ou não amar constata-se o efeito inverso, ou seja, violência, amargura e desespero. De tudo o que liga a vida ao nosso planeta, a água deverá ser o mais importante, no entanto raramente se demonstra carinho pela água e deveria ser algo integrante da nossa rotina diária.

The following two tabs change content below.

Olga Paredes

Engenheira Química, Ambiente e Qualidade
Licenciada em Engenharia Química - Ambiente e Qualidade. Pós-graduação em Gestão de Laboratórios. Mestrado em Análises Químicas Ambientais. Profissionalmente, desempenho funções de coordenadora de departamento de laboratórios. Assumi, durante 2013, o cargo de vereadora do pelouro da sustentabilidade ambiental, a tempo inteiro, na Câmara Municipal do Barreiro. Formadora na área do ambiente, qualidade e química.

Últimos textos de Olga Paredes (ver todos)