E chegamos a Dezembro! Um novo ano se avizinha e com ele sonhos conquistados e por conquistar, velhos e novos amores, mudanças a que nos propusemos e outras que aparecem sem contarmos. Mas como o jovem prodigioso Richard Bach disse um dia  “Nada acontece por acaso. Não existe a sorte. Há um significado por detrás de cada pequeno acto. Talvez não possa ser visto com clareza imediatamente, mas sê-lo-á antes que se passe muito tempo”.

   

O acaso  é algo que surge ou acontece sem motivo ou explicação aparente. Contudo somos igualmente inundados de momentos previsíveis, medidos, pensados e concretizados. As escolhas pessoais dependem só de nós, somos únicos pensadores e concretizadores nessa matéria. Pensamos se queremos estar ou arriscar, se queremos ficar ou sair. Destaco uma das oportunidades que vão surgindo e que se enquadram nas duas definições descritas no início desta crónica. O Governo de Portugal e o Governo da Austrália assinaram um memorando  de entendimento sobre mobilidade de jovens para trabalho em férias. Segundo fonte oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros, este permite que jovens portugueses viajem para a Austrália e jovens australianos venham para Portugal, permanecendo por um período máximo de um ano para trabalhar e para passar férias. Se tens entre 18 e 31 anos, não estás acompanhado de filhos dependentes, estás habilitado com qualificação de nível superior ou a completar com sucesso pelo menos dois anos de estudos universitários e possuis um bom nível de competência linguística em inglês, tens aqui uma oportunidade, sem custos associados e com apoio logístico, torno a referenciar o Serviço Voluntariado Europeu de curta ou longa duração, tendo em consideração, inclusivamente, que  a  cidade de Lisboa foi eleita a 4 de Dezembro, como Capital Europeia do Voluntariado 2015, sucedendo à cidade de Barcelona. Esta decisão que foi revelada na véspera do Dia Internacional do Voluntariado, que se assinala no 5 de Dezembro.  Aqui, destaco o excelente trabalho do município local e lanço desafio aos departamentos das câmaras municipais do distrito de Setúbal para no futuro se lançarem como anfitriões destas acções muito necessárias numa época em que a educação não formal toma um espaço cada vez mais importante.

   

Janeiro está a chegar! E com ele um novo ano, novos objectivos, metas, sonhos. Não queria deixar de referir a questão do consumo excessivo de álcool nesta época do ano, pois dados indicam que a ingestão de álcool entre os jovens com menos de 18 anos está a crescer em Portugal. A somar a este aumento junta-se o fenómeno de “binge drinking”, um padrão de consumo acelerado de álcool num curto espaço de tempo.
   

Acaso ou previsto, está nas vossas mãos tendo em consideração que o metabolismo dos jovens (até aos 18 anos) ainda não está suficientemente desenvolvido para processar o álcool, a escolha entre um estado de euforia e de embriaguez.

   

Acaso ou previsto, previsto ou acaso, o que interessa é termos saúde, haver respeito e espalharmos um sorriso e um abraço. E não desistir de sonhar, nunca!

   

Bom Ano 2015

The following two tabs change content below.

Heliana Vilela

Presidente da Assembleia Geral da Cooperativa Mil Acessos e Co-fundadora da Associação Meninos de Oiro
Desde 1995 até hoje a exercer funções de TDT – área saúde ambiental. No entretanto, foi presidente da Associação de Estudantes das ESTES Lisboa, Docente no Instituto Jean Piaget em Almada, Delegada e Directora do Instituto Português da Juventude. Fundadora da Associação Meninos de Oiro, uma associação para a defesa dos direitos da criança e jovens em Azeitão e o ano passado fundou em conjunto com outros elementos a Cooperativa Mil Acessos, uma organização que tem por missão promover a inclusão de pessoas com deficiência sensorial em atividades culturais através de produção de recursos de acessibilidade. Gosta de ler, desenhar e música.

Últimos textos de Heliana Vilela (ver todos)