A cidade do Barreiro teve origem numa aldeia ribeirinha, cujos habitantes se dedicavam a atividades piscatórias e à extração de sal. O seu desenvolvimento iniciou-se em 1861, mas a grande evolução ocorreu a partir de 1906, com a adjudicação a um grupo de industriais do Caminho-de-Ferro-Sul-e-Sueste, potenciando um crescimento histórico, determinante não só para o Barreiro mas também para o país com a implantação de indústrias pela Companhia União Fabril (CUF). O Barreiro transformou-se numa cidade industrial e operária, com uma imagem de centro industrial pesado e má qualidade de vida para os seus habitantes.
Atualmente, são poucas as indústrias que ainda laboram. O Barreiro tem vindo a modernizar-se, sem com isso desvalorizar o seu património. Pelo contrário, valorizando a sua história, tem vindo a apostar na gestão do património natural, procurando alterar a imagem formada ao longo dos anos.
Numa altura em vários estudos indicam que se está a consumir mais recursos do planeta do que este é capaz de gerar, como resultado do crescimento da população e do desenvolvimento económico, é fundamental alertar para a necessidade de alterar comportamentos e mentalidades. É essencial a criação de polos de desenvolvimento sustentável. Tendo esta convicção em mente, em 2005 iniciou atividade o Centro de Educação Ambiental (CEA) da Mata da Machada e Sapal do Coina.
Contado já com 10 anos de funcionamento, o CEA pretende ser uma referência ao nível da educação ambiental, pautando-se pela qualidade do serviço e pela excelência no desenvolvimento de uma consciência ambiental ativa e de uma cidadania responsável.
O CEA encontra-se instalado na Mata da Machada, espaço de grande importância histórica e ambiental. Com intuito de salientar isso mesmo, chama a atenção para os valores que nela existem, quer naturais, quer culturais, às gerações mais jovens. Assim, anualmente, é elaborado um Programa de Educação Ambiental dirigido ao público escolar, organizando visitas, atividades e ações pedagógicas a fim de promover o contacto com a natureza, com especial enfoque para a Reserva Natural Local, dirigido às instituições de ensino do Barreiro e dos concelhos limítrofes.
A Mata Nacional da Machada e o Sapal do Rio Coina são únicos no que se refere à fauna e flora, consistindo um habitat para diversos grupos de animais, formando um ecossistema equilibrado e rico em biodiversidade. A sua divulgação tem valorizado o património natural e contribuído para a preservação dos ecossistemas. Para além disso, trata-se de um exemplo para outros municípios que pretendam preservar o seu património natural.
Este é um contributo exemplar para redefinir o modelo de cidade, para redefinir a imagem da cidade não só interna, como externamente, em padrões de qualidade ambiental de referência, uma cidade em desenvolvimento e de progresso.

The following two tabs change content below.

Olga Paredes

Engenheira Química, Ambiente e Qualidade
Licenciada em Engenharia Química - Ambiente e Qualidade. Pós-graduação em Gestão de Laboratórios. Mestrado em Análises Químicas Ambientais. Profissionalmente, desempenho funções de coordenadora de departamento de laboratórios. Assumi, durante 2013, o cargo de vereadora do pelouro da sustentabilidade ambiental, a tempo inteiro, na Câmara Municipal do Barreiro. Formadora na área do ambiente, qualidade e química.

Últimos textos de Olga Paredes (ver todos)