Um estudo sobre a frequência natural de edifícios, que analisa a emissão de pequenas vibrações que normalmente não são sentidas, está a ser conduzido em Setúbal no âmbito de uma investigação na área da proteção civil.

O estudo, integrado na investigação de uma tese de doutoramento, é conduzido por Henrique Vicêncio, da Autoridade Nacional de Proteção Civil, investigador que no terreno é acompanhado por um técnico do Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal.

O trabalho de campo, a decorrer até à próxima semana, consiste no estudo e análise sobre a frequência natural de um conjunto de edifícios da cidade, selecionados de acordo com critérios de amostragem, nomeadamente tratarem-se de equipamentos públicos, serem imóveis históricos ou terem o maior número de pisos.

O estudo consiste na instalação na parte estrutural mais alta do edifício, a laje, de um conjunto de ferramentas de análise, como uma estação sísmica portátil, uma bateria e um computador, equipamentos que durante cerca de vinte minutos recolhem a informação necessária à investigação.

Depois de concluída, a informação recolhida é partilhada com o Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal, com vista ao aperfeiçoamento do Plano Municipal de Emergência, em particular na área que diz respeito aos riscos sísmicos.