Em Agosto de 2015, a taxa de desemprego no Distrito de Setúbal registava um valor de 14,8%, sendo 53.991 os desempregados inscritos nos Centros de Emprego do distrito.

Em relação ao mês anterior a percentagem da taxa de desemprego desceu 0,2 pontos percentuais.

O desemprego feminino representava 53,5% do desemprego, sendo de 22 a percentagem dos desempregados com idade superior a 55 anos e de 43,7 a percentagem dos desempregados de longa duração.

Os jovens, até aos 25 anos de idade representavam 10,4 por cento do desemprego e os desempregados com formação académica superior representavam 11,4%.

Em relação ao mês anterior verificou-se um aumento da percentagem dos desempregados com idade inferior a 25 anos.

O número de desempregados “ocupados”, que para a estatística não contam como desempregados, era de 10.274 o que evidencia a preocupação do Governo do PSD/CDS: esconder o desemprego em vez de criar condições para o desenvolvimento e assim criar emprego.

A ligeira diminuição do número de desempregados, verificada num mês de aumento de emprego sazonal, não alteram a situação do desemprego no Distrito que continua a ser um problema estrutural que com tal só pode ser resolvido com a alteração das políticas de direita responsáveis pela actual situação.

A USS/CGTP-IN e os Sindicatos do Distrito irão prosseguir a luta pela derrota da política de direita, pela exigência de emprego com direitos, por uma alternativa política de Esquerda e Soberana que ponha o distrito e o País na senda do desenvolvimento e do progresso social.