Mário Contumélias

Set 0
Set 0

Votem bem!

A um mês das eleições legislativas, Portugal é um país em que o contrato social foi rasgado nos últimos anos, conduzindo à insuficiência presente do Estado Social, à desvalorização do trabalho e da sua dignidade, ao aumento exponencial dos números da pobreza, a um inusitado recrudescimento da emigração. Somos hoje um país em que todos são, cada vez mais, vulneráveis aos riscos de desemprego, de doença, de velhice. Vejamos. Nos …   Ler

Ago 0
Ago 0

Fancaria informativa…

Por estes dias, os principais órgãos de informação portugueses, televisões à cabeça, deram impressivo destaque à história de uma mulher que, após o parto, deixou o hospital de faro com a criança recém-nascida. A história chegou a abrir telejornais, foi tema de capa na imprensa e acabou por se transformar num folhetim. No capítulo 1, a mãe “fugiu” do hospital com o bebé; no capítulo 2, voltou e entregou o …   Ler

Jul 0
Jul 0

O imperialismo europeu, a guerra e a resistência grega

A Europa está em guerra. Pode não parecer, sobretudo, porque os agressores procuram impor o seu projecto imperial com novas armas. Desta vez, não troam os canhões, não ceifam vidas os obuses e as metralhadoras, não cruzam os céus bandos de caças e bombardeiros, não se escondem nas profundezas os submarinos, decisivos na batalha dos mares. A arma fundamental é o dinheiro, que o Banco Central Europeu pode emitir de …   Ler

Mai 0
Mai 0

O falso médico, Sr. Coelho

Passos Coelho seria um pândego, se não fosse o algoz do presente dos portugueses e o carrasco da sua esperança no futuro. É que sua excelência gosta de metáforas e de linguagem popularucha; é, deve ser, a sua maneira de ser povo; a sua forma de mastigar “a salsicha educativa”. Mas o pior é que o doutor Sr. Coelho usa as metáforas para tentar fazer-nos engolir os “contos para crianças” …   Ler

Abr 1
Abr 1

A “raspadinha” de Belém…

A eleição do presidente da República é só em Janeiro de 2016 mas já há candidatos com fartura; é uma espécie de “raspadinha” em que se anunciam, ou se perfilam, Henrique Neto, Paulo Morais, Paulo Freitas do Amaral, António Sampaio da Nóvoa, Manuel Carvalho da Silva, Rui Rio, Pedro Santana Lopes, Marcelo Rebelo de Sousa. E em que também já se falou de Helena Roseta, Maria de Belém, António Guterres, …   Ler

Mar 1
Mar 1

Quatro palavras sobre Portugal e os portugueses

Inação – No passado domingo, 2,4 milhões de pessoas (segundo os números da polícia) a 3 milhões (estimativa dos organizadores) manifestaram-se, em mais de 250 cidades brasileiras (incluindo Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, e outras capitais estaduais), contra a corrupção e a política económica do Governo de Dilma Rousseff. Em resposta, a Presidente do Brasil disse que todos no Executivo estavam em “absoluta concordância com …   Ler

Fev 0
Fev 0

A Democracia e a separação de poderes

Paula Lourenço, advogada do empresário Santos Silva (o amigo de Sócrates) e de Gonçalo Trindade Ferreira, dá a conhecer as circunstâncias da detenção dos seus representados, num artigo publicado na revista da Ordem dos Advogados. Diz ela que ambos foram detidos e alvo de buscas “sem mandado”, “sujeitos a revistas ilegais nas suas casas e nos seus carros”. No caso de um deles, o aparato dos oficiais da justiça terá …   Ler

Jan 0
Jan 0

Porque Não Sou “Charlie”

Não, não sou “Charlie”! Condeno em absoluto a morte violenta seja de quem for, em nome do que quer que seja; da religião à política, da vingança à lei. Nada justifica a violência contra a vida, que não pode ser relativizada, sequer em nome da visão particular que qualquer cultura possa ter do mundo. Entendo que os valores traduzidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos devem ser universalmente respeitados, e …   Ler

Dez 0
Dez 0

O regresso do sol e o Menino Deus

Natal de 2014! Se as previsões estiverem correctas, os portugueses terão gasto mais em prendas do que gastaram no ano anterior, o que terá acontecido pela primeira vez, desde 2009. Ainda assim, em termos de média aritmética, a verba despendida em presentes não terá ultrapassado os 271 euros por consumidor. Parece pouco mas não é! Sobretudo, porque somos um país com cerca de 600 mil desempregados (segundo números oficiais), metade …   Ler

voltar ao topo ▲