Mário Balseiro Dias

Set 0
Set 0

Romaria da Senhora da Atalaia: Novo Quase-Pároco “versus” Procissão Estragada

No período áureo da “Festa Grande” (fim do século XIX e princípio do XX), o ponto alto da mesma era constituído (como, de resto, ainda hoje continua a ser) por uma monumental procissão, enquadrada pela Igreja e na qual se integravam, por ordem de antiguidade de fundação, todos os Círios presentes na Atalaia. O tempo passou e, no ano de 1987, o quadro já era muito diferente e negativo: apenas …   Ler

Set 0
Set 0

Arquivo Secreto do Vaticano e Setúbal

No mês em que completo três anos de colaboração ininterrupta com o “Setúbal na Rede”, escolho, para breve tratamento nesta crónica, um tema, de certo modo, também para mim, inesperado. Em deslocação recente à Biblioteca Nacional, quando me encontrava a documentar sobre obras publicadas sobre o culto mariano em Portugal nas últimas décadas, deparei, inesperadamente, com uma relação escrita por um espanhol sobre o terramoto de 1 de novembro de …   Ler

Ago 0
Ago 0

Rio das Enguias – Breves Notas Históricas

Um moderno viajante de carro que, por exemplo, parta da cidade de Montijo e continue pela Estrada Nacional n.o 4 rumo ao Alentejo, ao passar na ponte das Rilvas pelo Rio das Enguias, talvez não tenha a noção da grande importância económica deste, como via de comunicação fluvial, durante, pelo menos, meio milénio. O Rio das Enguias nasce da confluência da água vinda dos pauis do Torrão, a leste, e …   Ler

Jul 0
Jul 0

Cultura, Associativismo e Rejuvenescimento Diretivo

Quando, por ocasião dos festejos da Quinta-Feira de Ascensão, na Atalaia, em maio, o meu amigo senhor José Ratinho, Presidente da Direção do Círio dos Olhos de Água, em conversa particular, me confidenciou, apreensivo, que três dos dirigentes do Círio já andavam pelos oitenta anos, refleti sobre o assunto e acabei por partilhar da sua preocupação. Este fenómeno não é exclusivo do Círio dos Olhos de Água, mas também dos …   Ler

Mai 0
Mai 0

Culto a Nossa Senhora da Atalaia: Quinta-Feira da Ascensão

No quadro do calendário litúrgico da Igreja Católica, a festa da Ascensão, celebrada numa quinta-feira quarenta dias após a Páscoa, comemora a ascensão de Jesus Cristo ao Céu. Em Portugal, o dia também é conhecido por “Quinta-Feira da Espiga”, ou, muito simplesmente, por “Dia da Espiga”. Manda a tradição que, num passeio pelo campo, se colham espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira, para formar um ramo …   Ler

Abr 1
Abr 1

Círio dos Marítimos de Alcochete: Festividades da Páscoa de 2015

No âmbito da vida cultural da nossa região, o Círio dos Marítimos de Alcochete assume um relevo ancestral e particular, o qual ainda não terá sido devidamente reconhecido em toda a sua plenitude. Tratei do assunto no meu quarto livro (“Círio dos Marítimos de Alcochete”, Alcochete, Câmara Municipal, 2002, 158 pp.). Na Baixa Idade Média, nalgumas povoações do litoral português, foram surgindo várias confrarias ou irmandades de mareantes, com objetivos …   Ler

Mar 0
Mar 0

Um Historiador Atalaiense Esquecido: Padre Manuel Frederico Ribeiro da Costa

Um observador minimamente atento e crítico dos múltiplos aspetos da vida cultural de Montijo contemporâneo acabará, mais tarde ou mais cedo, por reparar num “pormenor” cheio de significado: por detrás da fachada oficial, constata-se o mais profundo desprezo a que desde sempre têm sido votados os investigadores de História Local da própria terra. A solução para os problemas historiográficos passaria, necessariamente, pela contratação de “boys” de Lisboa e arredores dos …   Ler

Fev 0
Fev 0

Setúbal num Guia de Viajantes do Século XIX

De entre as fontes documentais escritas de maior interesse para os historiadores e para os investigadores, em geral, contam-se os guias de viajantes, os quais, a partir de meados do século XIX, conheceram uma grande divulgação. Em 1863, Francisco Maria Bordalo publicou a segunda edição “aumentada” do seu “Novo Guia do Viajante em Lisboa e seus Arredores …” (Lisboa, J. J. Bordalo, 381 pp.). O espaço concedido a Setúbal vai …   Ler

Jan 0
Jan 0

Cultura Pinhalnovense: Coleção “Origens e Destinos”

Na sequência das profundas alterações ocorridas no nosso país com a revolução de 25 de Abril de 1974, as câmaras municipais e, em menor grau, as juntas de freguesia, passaram a dispor de enquadramento legal e de meios humanos, técnicos e financeiros, como nunca antes, para a concretização de novas e mais profundas iniciativas na área cultural.     Foram sendo publicadas monografias locais, em especial na área da História, …   Ler

Dez 0
Dez 0

Alhos Vedros: Economia, Administração e Demografia- Sécs. XIV-XVIII

No dia 14 de dezembro, das 16 horas e 30 minutos às 19 horas e 30 minutos, estive na capela da Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros a assistir à cerimónia de lançamento do livro do meu amigo e ex-colega Doutor António Gonçalves Ventura intitulado “Alhos Vedros. Economia, Administração e Demografia. Sécs. XIV-XVIII” (Moita, Câmara Municipal, 409 pp.).     A iniciativa inseriu-se no âmbito do programa das comemorações …   Ler

voltar ao topo ▲