José Carlos Sousa

Set 0
Set 0

Crato: o ministro que tudo quis mudar

Vivemos, nestes últimos longos quatro anos, com um ministro da Educação e Ciência que tudo quis alterar, tudo tentou sonegar, e, em nome da racionalização, tudo quis justificar. As escolas perderam quase um quarto do financiamento. É simples: menos professores, menos alunos, menos unidades orgânicas e muitos contratos com o exterior, nomeadamente para a concessão de refeitórios e para as empresas de limpeza das escolas. E ficaram os cheques-ensino para …   Ler

Set 0
Set 0

Todos de volta à escola

A 1 de Setembro apresentaram-se nas escolas os professores que terão como missão lecionar o próximo ano letivo que agora se inicia. Entre as incertezas de muitos as certezas de alguns que por não se encontrarem colocados, passam este primeiro de Setembro no centro de Emprego apresentando-se como desempregados. A escola está hoje pior do que há quatro anos atrás. Há menos alunos, há menos professores e há essencialmente menos …   Ler

Ago 0
Ago 0

Um governo que nada fez, tudo desfez

Quase sem nos darmos por isso, estamos muito próximos das eleições legislativas. As escolas continuam com as suas tarefas, mais ou menos burocratizadas, de constituir turmas de acordo com matrizes emanadas do Ministério da Educação e Ciência. Quando tudo parece estar controlado, ou pelo menos suficientemente ponderado, eis que, sistematicamente, chegam alterações para a constituição das turmas. A última vez que tal aconteceu foi no final da semana passada, em …   Ler

Jul 0
Jul 0

Os desencantos da legislatura

Estamos a terminar uma legislatura que fica pautada por grandes prejuízos em termos educacionais e em termos escolares nas nossas escolas. Perderam-se professores nas escolas, não só pela falta de alunos, mas porque as turmas aumentaram. Enfiaram-se 28 alunos no mínimo numa turma em salas que não os comportam. As politicas implementadas conduziram a uma taxa de natalidade mínima. Em 2019 teremos menos 70 mil alunos no sistema educativo do …   Ler

Mai 0
Mai 0

E a Norma que não saía…

Foi publicada a norma nº 2/JNE/2015 sob o lema “certificar com equidade” que visa, nos exames nacionais dos ensinos básico e secundário, proceder às instruções para realização, classificação, reapreciação e reclamação das mesmas. Chegou às escolas no domingo dia 10 de maio e os exames que vão de acordo com a “norma” começar a dia 18 de maio…próxima 2ª feira. A teimosia deste Ministério da Educação e Ciência ( MEC) …   Ler

Abr 0
Abr 0

Descentralização e desconcentração de serviços do MEC

Mesmo antes de a regionalização ter sido chumbada, já se falava de descentralização. Por vezes falava-se de descentralização e queria dizer-se desconcentração outras vezes era só mesmo regulação…enfim sempre se fez, ou tentou fazer, alguma confusão com os conceitos O que é facto, e do qual não se tem dúvidas, é que aquilo que este governo se propõe fazer em matéria de descentralização de competências e da propalada autonomia das …   Ler

Fev 0
Fev 0

Municipalização da Educação – Afinal em que ficamos?

O governo fez sair o Decreto-Lei nº 30/2015 de 2 de fevereiro, que define algumas das prerrogativas para a transferência de competências em vários domínios para os municípios – Educação incluída. Mais uma vez, o governo parece que anda com medo, com receio, sem norte e aparentemente faz tudo na “calada da noite”. Afinal com que objetivos? Mais uma vez o governo não comunicou com o país real e não …   Ler

Jan 0
Jan 0

O Amianto; as Escolas e o Secretário de Estado

A intervenção há muito exigida, há muito propalada e só recentemente efetuada da remoção das placas de fibrocimento que contêm  amianto nas escolas que as tinham como cobertura,  chegou ao fim nas palavras do Sr. Secretário de Estado. Tudo está bem, no seu entender, e só em circunstâncias muito especificas “como fissuras” se voltarão a fazer intervenções. Este Secretário de Estado também já nos habituou a dizer umas coisas que …   Ler

Dez 1
Dez 1

Protegemos ou não as crianças?

Muitas Comissões de Proteção de Crianças e Jovens foram “abaladas” durante o mês de novembro com a notícia da saída das suas “fileiras” de muitos representantes da Segurança Social. Ao que se dizia haveria uma saída de cerca de 700 técnicos da segurança Social, muitos deles exercem funções nas comissões de proteção de crianças e jovens pelo país. Foi apresentada a data limite de 18 de dezembro. Entretanto esta saída, …   Ler

voltar ao topo ▲