João Palmeiro

Out 0
Out 0

A sociedade civil faliu. Quem vai apanhar os cacos?

Escrevo esta crónica num momento em que nada se sabe sobre o próximo Governo de Portugal. Tudo pode acontecer. Menos novas eleições parlamentares antes do Verão de 2016. E, uma coisa para mim é certa, em Portugal a sociedade civil faliu. Leitor atento interessado e normalmente concordante de António Barreto, chamo aqui os pilares da Democracia que hoje, domingo 11 de Outubro, ele definiu na sua crónica no Diário de …   Ler

Set 0
Set 0

A Armadilha

Quero começar por pedir desculpa aos editores do “Setúbal na Rede” por este atraso no envio da minha crónica de provedor do leitor, mas desta vez, querendo corresponder a um apoio do Provedor do Leitor do “Público” acerca do processo de cobertura das eleições (Público 29/8), achei indispensável deixar acontecer os debates eleitorais em Portugal, na Grécia e nos EUA. As alterações introduzidas à última hora na lei da cobertura …   Ler

Ago 0
Ago 0

De um Adeus estimado, às questões dos conteúdos cor de rosa ou auto plagiados

As semanas que passaram desde a minha última crónica foram das mais cheias de informação, política e noticiosa dos últimos tempos. A Grécia, o Irão, desastres na China e mais umas quantas «animações» caseiras. Um Adeus estimado Mas quero deixar, para começar uma palavra de lembrança e admiração e sobretudo muito respeito e carinho por Maria Barroso. Não é este certamente o lugar apropriado para desenvolver os dois últimos adjetivos; …   Ler

Jun 0
Jun 0

Gato escondido com rabo de fora

Parece que termina esta semana o calvário da lei da lei da cobertura eleitoral. Muitas horas de debate, muitas linhas e comentários gastos para, no fim, o que deveria ser a mais importante discussão para o regime democrático português ter ficado no tinteiro. É certo que a maior parte das questões relacionadas com assuntos “técnicos”, como a questão da pré-campanha ou a utilização do esquadro e régua para a comparação …   Ler

Mai 0
Mai 0

Um Óscar para o Mascarenhas

Cruzei-me com o Óscar Mascarenhas nos bancos da Faculdade de Direito há quase 50 anos. Não recordo desses tempos nenhuma relação especial como a que desenvolvemos mais tarde, quer em negociações laborais, quer em discussões sobre a melhor forma de garantir o acesso dos jornalistas a fontes de informação públicas. O Mascarenhas merece o Óscar, porque ao longo de toda a sua vida profissional de jornalistas sempre acreditou que a …   Ler

Abr 0
Abr 0

A mediocracia: existe ou é ficção?

Passava perto da Gulbenkian nesta quase húmida manhã de 25 de abril. Quase na esquina tropeço com o João Palmeiro, o “outro” que entre 1975 e 1989 fui responsável pelo Centro de Difusão de resultados Eleitorais. Por aqui? Disse-lhe eu, estou nas últimas lembranças de há quarenta anos daqueles sete dias épicos que foram a instalação, treino e gestão do Centro de Imprensa da Gulbenkian, de 21 a 28 de …   Ler

Mar 0
Mar 0

O silêncio nem sempre é de ouro nem prudente. Às vezes é ensurdecedor.

Caros leitores, espero que, ao menos, os mais atentos ou interessados, tenham dado por este silêncio de duas crónicas desde o princípio do ano. Presumindo que devo uma explicação (e presunção e água benta, cada qual toma a que quer…) a primeira razão do meu silêncio é o silêncio dos leitores. Depois os temas que têm estado nas minhas preocupações, pensamentos mais recentes e que gostaria de partilhar, estão, no …   Ler

Dez 0
Dez 0

O Novo Ano está a chegar. E se 2015 fosse, afinal, 1984?

O ano que esta prestes a acabar e 2015 apresenta se como um ano especial para os media em Portugal e na Europa, no mundo em geral. As previsões dizem que o investimento publicitário em plataformas digitais nos países anglo-saxónicos poderá ultrapassar os investimentos em suportes tradicionais ultrapassando mesmo 50% do valor investido. Modelos de distribuição automática da publicidade trazem desafios nunca pensados ao jornalismo que precisa cada vez mais …   Ler

voltar ao topo ▲